Pesquisadores detectam variante britânica em gato na Itália

O felino provavelmente contraiu o vírus Sars-CoV-2 de seus donos

Estudos já mostraram que felinos não transmitem coronavírus para humanos
Estudos já mostraram que felinos não transmitem coronavírus para humanos (foto: ANSA)
12:53, 18 MarTURIM ZLR

(ANSA) - Pesquisadores italianos identificaram pela primeira vez a variante britânica do coronavírus Sars-CoV-2 em um gato.

Trata-se de um felino macho de oito anos que apresentou sintomas respiratórios cerca de 10 dias depois de seus donos terem sido infectados.

O sequenciamento do vírus foi feito por especialistas do Instituto Zooprofilático Experimental do Piemonte, da Ligúria e do Vale de Aosta, regiões do norte da Itália.

"A positividade do gato não deve gerar alarmes. Por causa da doença dos donos, os animais domésticos passam a viver em ambientes de forte circulação viral, então não é inesperado que eles também possam contrair a infecção", declarou Bartolomeo Griglio, responsável de prevenção do governo do Piemonte.

"Não existe qualquer evidência científica sobre o fato de que os gatos possam transmitir a Covid-19. O contágio entre humanos é a principal maneira de difusão da doença", acrescentou.

A variante britânica do Sars-CoV-2 já é predominante na Itália, que contabiliza cerca de 3,3 milhões de casos e mais de 100 mil mortes na pandemia do novo coronavírus. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA