Representante da OMS critica aglomerações na final da Eurocopa

'Devastador', diz chefe da luta contra pandemia de Covid-19

Wembley teve quase lotação máxima durante a final
Wembley teve quase lotação máxima durante a final (foto: EPA)
15:05, 12 JulROMA ZGT

(ANSA) - A epidemiologista e chefe da Organização Mundial da Saúde (OMS) para a emergência da Covid-19, Maria van Kerkhove, usou sua conta no Twitter para lamentar a falta de consciência de muitos torcedores durante a final da Eurocopa, ocorrida em Londres, neste domingo (11), entre Inglaterra e Itália.

"Eu deveria estar me divertindo vendo a transmissão acontecer perante meus olhos? A pandemia de Covid-19 não está tirando folga essa noite... a variante Delta do Sars-CoV-2 vai tirar vantagem das pessoas não vacinadas, em aglomerações, sem máscaras berrando/gritando/cantando. Devastador", escreveu em sua conta na rede social.

É bastante raro os representantes da OMS postarem opiniões sobre países ou eventos específicos, mas a liberação de público durante as partidas da Eurocopa já havia suscitado críticas por conta das cenas vistas nos estádios.

Apesar das autoridades informarem que os protocolos eram seguidos, foi bastante comum ver pessoas sem máscaras e aglomeradas nas arquibancadas, sem manter nenhum tipo de distanciamento social.

E o comentário de Van Kerkhove vem em um momento de uma forte alta no número de casos de Covid-19 no Reino Unido, com uma média diária de 31,5 mil contágios - muito acima do registrado nos meses de março, abril, maio e início de junho.

As autoridades afirmam que, além do alívio nas regras sanitárias, o maior responsável pela rápida disseminação é a cepa delta, primeiramente detectada na Índia, e que hoje é a mutação predominante no território britânico.

A única notícia boa é que as mortes não acompanharam a alta nas contaminações graças à ampla vacinação da população - mais de 87% já receberam a primeira dose e 66% dos cidadãos completaram o ciclo vacinal. (ANSA).
   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA