Rede bolsonarista é alvo de ação da PF contra 'fake news'

Aliados de Bolsonaro sofreram mandados de busca e apreensão

Jair Bolsonaro com o dono da Havan, Luciano Hang
Jair Bolsonaro com o dono da Havan, Luciano Hang (foto: Fátima Meira/Futura Press)
11:08, 27 MaiSÃO PAULO ZLR

(ANSA) - Uma rede de políticos, empresários e blogueiros bolsonaristas é alvo de uma operação da Polícia Federal deflagrada nesta quarta-feira (27), no âmbito de um inquérito sobre um suposto esquema de disseminação de notícias falsas e ameaças contra membros do Supremo Tribunal Federal (STF).

O relator da investigação é o ministro Alexandre de Moraes, que expediu 29 mandados de busca e apreensão contra uma série de aliados de Bolsonaro.

Entre os alvos estão os empresários Luciano Hang (Havan) e Edgard Corona (Bio Ritmo e Smart Fit), o ex-deputado federal Roberto Jefferson, os blogueiros Allan dos Santos e Winston Lima e a ativista Sara Winter.

Moraes também determinou que os deputados federais Bia Kicis, Carla Zambelli, Daniel Silveira, Filipe Barros, Junio do Amaral e Luiz Philippe de Orleans e Bragança sejam ouvidos no inquérito, assim como os deputados estaduais paulistas Douglas Garcia e Gil Diniz. Todos eles são do PSL, ex-partido de Bolsonaro.

"O que está acontecendo é algo que qualquer um desconfie que seja proposital. Querem incentivar rachaduras diante de inquérito inconstitucional, político e ideológico sobre o pretexto de uma palavra politicamente correta? Você que ri disso não entende o quão em perigo está!", escreveu no Twitter o vereador Carlos Bolsonaro, filho do presidente.

A investigação apura a existência de um grupo que estaria por trás da disseminação sistemática de notícias falsas contra ministros do STF, com suposto financiamento de empresários. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA