Fernández fala em 'deixar diferenças' em 1ª reunião com Bolsonaro

Encontro ocorreu online após 11 meses de eleição na Argentina

Presidente da Argentina, Alberto Fernandez, durante encontro online com Jair Bolsonaro
Presidente da Argentina, Alberto Fernandez, durante encontro online com Jair Bolsonaro (foto: Gentileza Presidencia Argentina)
17:54, 30 NovBUENOS AIRES ZCC

(ANSA) - O presidente Jair Bolsonaro e seu homólogo argentino, Alberto Fernández, realizaram nesta segunda-feira (30) sua primeira reunião, 11 meses depois da eleição no país vizinho, por ocasião das comemorações do "Dia da Amizade" entre as duas nações.

A cerimônia online comemorou a criação do Mercosul a partir do encontro dos ex-presidentes Raúl Alfonsín e José Sarney em Foz do Iguaçu, no Brasil, há 35 anos.

"Celebro este encontro para que dê ao Mercosul o impulso de que necessita e é imprescindível que Brasil e Argentina o façam juntos", afirmou o presidente argentino, ressaltando que espera que as duas partes possam abandonar "as diferenças do passado e enfrentar o futuro com as ferramentas que funcionam bem entre ambos".

Em relação à cooperação bilateral entre Brasil e Argentina, Fernández pediu mais avanços "no campo da segurança e das Forças Armadas" e "na questão do meio ambiente", sobre a qual Bolsonaro é fortemente contestado em todo o mundo.

"O Mercosul é o nosso principal pilar de integração", disse o líder brasileiro, apelando à criação de "mecanismos mais ágeis e menos burocráticos".

Bolsonaro ainda expressou o desejo de os países terem êxito em áreas de interesse comum, especialmente o turismo, e de fortalecer a integração na defesa e combate ao narcotráfico.

O Brasil é o principal parceiro comercial da Argentina. Segundo analistas, o encontro de hoje, ainda que virtual, destaca uma aproximação entre Fernández e Bolsonaro, distantes em vários temas, como a crise na Venezuela e a importância do Acordo de Paris sobre as mudanças climáticas.

Maradona -

De acordo com o jornal argentino Clarín, o encontro virtual entre os dois líderes começou com um momento de descontração, após Bolsonaro lamentar a morte do craque Diego Armando Maradona, morto no último dia 25 de novembro, após sofrer uma parada cardiorrespiratória.

Ainda segundo a publicação, Fernández disse ao presidente brasileiro que "a única diferença" que eles têm é "no futebol".  (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA