Bolsonaro anuncia troca de presidente da Petrobras

Decisão foi tomada após chefe de Estado criticar a estatal

Decisão foi tomada após chefe de Estado criticar a estatal
Decisão foi tomada após chefe de Estado criticar a estatal (foto: ANSA)
19:48, 19 FevSÃO PAULO ZCC

(ANSA) - O chefe de Estado Jair Bolsonaro anunciou na noite desta sexta-feira (19) que substituirá o atual presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, pelo general Joaquim Silva e Luna.

"O governo decidiu indicar o senhor Joaquim Silva e Luna para cumprir uma nova missão, como conselheiro de administração e presidente da Petrobras, após o encerramento do ciclo, superior a dois anos, do atual presidente, senhor Roberto Castello Branco", diz o comunicado oficial, atribuído ao Ministério de Minas e Energia, publicado no Twitter de Bolsonaro.

A decisão foi revelada um dia depois de criticar a elevação do preço dos combustíveis feita na Petrobras e após confirmar que seriam realizadas mudanças na estatal.

"Anuncio que teremos mudança sim na Petrobras", disse o líder brasileiro durante viagem a Sertânia, em Pernambuco, para inauguração de uma obra.

O presidente afirmou que alguma coisa iria "acontecer" na estatal nos próximos dias, mas não havia dado detalhes, apesar da reação negativa do mercado às críticas feita ontem durante sua live contra a política de preços de combustíveis.

Os comentários agravaram preocupações no mercado em relação à companhia e o principal índice da bolsa de valores brasileira, a B3, tem operado em queda. O Ibovespa caiu 0,76%, a 118.288 pontos.

Bolsonaro, no entanto, afirmou que "jamais" irá interferir na política de preços da empresa, mas cobrou previsibilidade nos reajustes dos valores dos combustíveis, ressaltando que o cálculo não pode ser um "segredo de Estado" e o povo não pode ser surpreendido."Faça-os, mas com previsibilidade. É isso que queremos", concluiu.

A polêmica teve início após a Petrobras anunciar, nesta semana, reajustes no preço do diesel e da gasolina. "Decidimos que nos próximos dois meses iremos zerar também os impostos federais em cima do diesel. Nestes dois meses teremos medidas que possam causar conforto na questão de combustíveis no Brasil", declarou.

Bolsonaro ainda ressaltou que exigirá transparência. "Se lá fora aumenta o barril do petróleo e aqui o dólar está alto, sabemos das suas repercussões no preço do combustível. Mas isso não vai continuar sendo um segredo de estado. Exijo e cobro transparência de todos aqueles que tenho responsabilidade de indicar", finalizou. (ANSA).
   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA