Rosa Weber encaminha notícia-crime contra Bolsonaro à PGR

Senadores acusam o presidente de prevaricação no caso Covaxin

Bolsonaro é acusado por senadores de ter ignorado suposta corrupção na compra da Covaxin
Bolsonaro é acusado por senadores de ter ignorado suposta corrupção na compra da Covaxin (foto: ANSA)
09:54, 30 JunSÃO PAULO ZLR

(ANSA) - A ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF), encaminhou à Procuradoria-Geral da República (PGR) a notícia-crime contra o presidente Jair Bolsonaro por suspeita de prevaricação na compra da vacina anti-Covid Covaxin.

Relatora da ação no Supremo, Weber cumpriu um procedimento de praxe na corte, já que cabe à PGR, comandada por Augusto Aras, aliado de Bolsonaro, avaliar se pede ou não a abertura de um inquérito.

A queixa-crime é assinada pelos senadores Randolfe Rodrigues (Rede-AP), Fabiano Contarato (Rede-ES) e Jorge Kajuru (Podemos-GO) e já é resultado das investigações da CPI da Covid-19.

Na semana passada, em depoimento à comissão, o servidor do Ministério da Saúde Luis Ricardo Miranda disse ter sofrido pressão "incomum" para finalizar a tramitação da compra da Covaxin, produzida pelo laboratório indiano Bharat Biotech, mas vendida ao Brasil por meio da intermediária Precisa Medicamentos.

Além disso, o deputado Luis Miranda (DEM-DF), irmão do servidor, disse ter denunciado as suspeitas de irregularidades ao próprio Bolsonaro. Segundo os senadores que assinam a notícia-crime, o presidente não teria agido para impedir uma suposta corrupção na compra da vacina, o que configuraria crime de prevaricação. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA