Roberto Jefferson é preso em inquérito sobre milícias digitais

Prisão preventiva foi autorizada por Alexandre de Moraes

Pivô do mensalão, Roberto Jefferson é agora bolsonarista convicto
Pivô do mensalão, Roberto Jefferson é agora bolsonarista convicto (foto: Agência Estado)
10:06, 13 AgoSÃO PAULO ZLR

(ANSA) - A Polícia Federal prendeu nesta sexta-feira (13), em Comendador Levy Gasparian (RJ), o ex-deputado e presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, investigado em um inquérito que apura a atuação de "milícias digitais" contra a democracia brasileira.

A execução do mandado de prisão preventiva contra Jefferson foi autorizada pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), que também determinou o bloqueio das contas do ex-deputado nas redes sociais e a apreensão de suas armas.

Jefferson foi deputado federal pelo Rio de Janeiro durante 22 anos e já cumpriu pena por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no escândalo do mensalão.

Hoje, no entanto, é um apoiador entusiasmado do presidente Jair Bolsonaro e chegou a postar no Twitter uma foto segurando um fuzil, com a legenda: "Estou me preparando para combater o bom combate. Contra o comunismo, contra a ditadura, contra a tirania, contra os traidores, contra os vendilhões da Pátria".

Além disso, defendeu que Bolsonaro destituísse os 11 ministros do STF e cassasse as concessões de rádio e TV da Globo, principal grupo de mídia do Brasil.

Jefferson está no centro de um inquérito aberto pelo Supremo em julho passado e que apura a possível existência de uma milícia digital voltada a ataques contra a democracia. Uma das suspeitas é de que o grupo tenha sido irrigado por verbas do fundo partidário. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA