Personalidades italianas lamentam morte de Bertolucci

Cineasta faleceu nesta segunda-feira, aos 77 anos de idade

Bernardo Bertolucci e Roberto Benigni em junho deste ano durante evento em Roma
Bernardo Bertolucci e Roberto Benigni em junho deste ano durante evento em Roma (foto: ANSA)
12:12, 26 NovROMA ZBF

(ANSA) - Personalidades políticas e artistas lamentaram a morte do cineasta italiano Bernardo Bertolucci, que faleceu nesta segunda-feira (26), em Roma, aos 77 anos. Muitos políticos usaram as redes sociais para prestar condolências. A prefeita da capital italiana, Virginia Raggi, do Movimento 5 Estrelas (M5S) disse "adeus ao grande mestre Bernardo Bertolucci, que com as suas obras e os seus trabalhos marcou para sempre a história do cinema mundial". A deputada da Forza Italia (FI) Elvira Savino também afirmou que "o cinema italiano perde um grande mestre; a cultura do nosso país perde um grande protagonista".

Já Paolo Baratta, presidente da Bienal de Veneza, declarou que Bertolucci será lembrado entre os grandes do cinema italiano e mundial. Baratta disse que os italianos "choram a morte de um diretor presente em numerosas ocasiões na Mostra de Cinema de Veneza, desde o filme de estreia "A Morte", de 1962, para então ser presidente do júri em 1983 e em 2013, e ainda Leão de Ouro pela carreira em 2007".

Roberto Benigni, ator italiano que protagonizou e dirigiu "A vida é Bela", também lamentou a morte do diretor Bernardo Bertolucci. "É uma dor imensa a morte de Bernardo Bertolucci. Foi embora o maior de todos, o último imperador do cinema italiano", declararam o ator e sua esposa Nicoletta Braschi.

"Um pedaço da nossa família, um amigo fraterno, amoroso, inteligente, imprevisível, rigoroso e implacável em dizer sempre a verdade. O seu cinema continuará entre as maravilhas do século 20", continuaram.

Vencedor do Oscar, Bernardo Bertolucci levou a estatueta de "Melhor Diretor" com o longa "O Último Imperador", de 1988, que trinfou em outras oito categorias naquele ano.

Poeta, documentarista e produtor, Bertolucci também assinou grandes sucessos como "Novecento", de 1976, "O Pequeno Buda", de 1993 e "Último Tango em Paris", de 1972, com o qual foi recentemente alvo de críticas por ter declarado rodar uma cena de sexo não consentido no longa.

(ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA