Baldwin defende limite ao uso de armas de fogo em filmagens

Ator afirmou que diretora Halyna Hutchins era sua 'amiga'

Alec Baldwin estava visivelmente abatido durante uma conversa com alguns paparazzi
Alec Baldwin estava visivelmente abatido durante uma conversa com alguns paparazzi (foto: ANSA)
11:25, 01 NovROMA ZRS

(ANSA) - O ator norte-americano Alec Baldwin quebrou o silêncio e falou pela primeira vez sobre a tragédia que levou à morte acidental da diretora de fotografia, Halyna Hutchins, no set de filmagem.

Em uma entrevista a um grupo de paparazzi, divulgada pela imprensa dos Estados Unidos, Baldwin explicou que foi orientado a não fazer comentários sobre a investigação, mas contou que Hutchins era sua "amiga".

"Eu não posso falar nada sobre a investigação, ela está em andamento. Halyna era minha amiga, tanto que no dia em que cheguei em Santa Fé e comecei a gravar, eu a levei para jantar junto com Joel, o diretor", explicou Baldwin.

Na conversa, o ator de 63 anos de idade, que estava visivelmente abatido, afirmou que o marido da diretora "está em choque". Baldwin ainda mencionou que vem mantendo em contato com a família da diretora.

Por fim, o ator afirmou que está "extremamente interessado" que a indústria cinematográfica reveja os protocolos sobre a utilização de armas de fogo nos sets de filmagens.

"Não sou nenhum especialista na área, mas um esforço para limitar a utilização de armas de fogos em sets é um assunto que estou extremamente interessado. Qualquer decisão que seja a respeito do melhor caminho, em termos de segurança das pessoas, sou completamente a favor e cooperarei com isso. Algumas novas regras precisam ser tomadas, como o uso de pistolas de borracha, ou armas de plástico, nada real", comentou.

O incidente nas gravações do filme "Rust" aconteceu no dia 21 de outubro, no Novo México. Na oportunidade, Baldwin disparou uma arma que estava carregada com munição real durante um ensaio, apesar de um assistente da produção ter dito que o revolver cinematográfico era seguro, segundo informações do inquérito divulgadas pela mídia.

Além da tragédia ter custado a vida de Hutchins, o incidente feriu o cineasta do longa-metragem, Joel Souza, de 48 anos de idade. Ele chegou a ser hospitalizado, mas já recebeu alta médica. (ANSA).
   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA