FMI reduz previsões para a economia brasileira

O PIB do país deve crescer 2,3% e 2,8% nos dois próximos anos

Em outubro, o FMI chegou a criticar a política econômica do governo Dilma Rousseff
Em outubro, o FMI chegou a criticar a política econômica do governo Dilma Rousseff (foto: EPA)
20:15, 21 JanSÃO PAULO ZLR

(ANSA) - O Fundo Monetário Internacional (FMI) reduziu para 2,3% e 2,8% as perspectivas de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro para os anos de 2014 e 2015, respectivamente. As previsões anteriores eram de 2,5% e 3,2%.
    Os dados fazem parte de um relatório chamado Panorama Econômico Mundial, divulgado na manhã desta terça-feira (21), e vão na contramão das expectativas do FMI para o mundo como um todo. Segundo o documento, o FMI espera um crescimento de 3,7% na economia global para este ano, número 0,1 ponto percentual maior que a última previsão do órgão, anunciada em outubro de 2013. Para 2015, a perspectiva permanece inalterada, em 3,9%.
    "A retomada econômica mundial está se reforçando, mas ainda é frágil e incerta, com taxas de desemprego que permanecem muito altas nas economias avançadas", afirmou o economista-chefe da instituição, Olivier Blanchard, acrescentando que a recuperação nos Estados Unidos é mais forte que nos países europeus. De acordo com ele, o sul da Europa continua sendo a parte mais preocupante da economia global.
    Para a Itália, uma das nações mais afetadas pela crise, o relatório do FMI prevê um crescimento de 0,6% em 2014 e de 1,1% em 2015, enquanto a zona do euro deve ter altas de 1% e 1,14% nos próximos dois anos. Já o PIB norte-americano terá, segundo o fundo, um aumento de 2,8% em 2014 e de 3% no ano que vem. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA

archivado en