UE corta estimativas econômicas da Itália

Por outro lado, o déficit deverá melhorar graças ao spread

Pier Carlo Padoan, novo ministro da Economia italiano
Pier Carlo Padoan, novo ministro da Economia italiano (foto: ANSA)
15:07, 25 FevESTRASBURGO ZCC

(ANSA) - A previsão econômica da Itália não é muito otimista. De acordo com relatório da Comissão Europeia, é previsto lenta recuperação, queda do PIB e desemprego em alta. Por outro lado, o déficit melhora graças à baixa do spread.
    Para o ministro da Economia italiano, Pier Carlo Padoan, as previsões da Comissão Europeia "sublinham a necessidade de ação para estimular o crescimento e, ao mesmo tempo, colocar no chão a queda do débito público".
    A lenta recuperação da economia italiana se deve a demanda externa e a atividade industrial. Em novembro de 2013, a taxas do PIB eram de -1,8%, contra -1,9% atualmente. Para 2015 a previsão é que chegue aos +1,2%.
    A Comissão diz que as taxas de desemprego pioraram. A estimativa era que fosse de 12,4% em 2014, mas chegou aos 12,6%. Porém, é provável que em 2015 caia para 12,1%, graças a um "reforço" na economia. Em toda a zona do euro, a média de desemprego é de 12% e deverá cair para 11,7% em 2015.
    Por outro lado, a previsão da Comissão para o déficit italiano é positiva. As taxas de 2,6% de 2014 deverão cair para 2,2% em 2015. O valor representa uma queda de 3% desde 2013. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA