FCA lidera venda de veículos na Am. Latina no 2º trimestre

Segundo empresa, junho teve recuperação nas vendas

FCA liderou o mercado brasileiro e foi vice na Argentina
FCA liderou o mercado brasileiro e foi vice na Argentina (foto: EPA)
13:57, 08 JulSÃO PAULO ZGT

(ANSA) - A Fiat Chrysler Automobiles (FCA) registrou a liderança nas vendas de automóveis e comerciais leves na América Latina - sem incluir o México - no segundo trimestre deste ano, com 15,9% do market share.

Conforme a marca, houve a liderança no mercado brasileiro de automóveis e comerciais leves no trimestre, com 19,8% de participação - sendo 14,3% para a Fiat, que avançou 0,4 ponto percentual em relação ao mesmo período de 2019, e 5,3% para a Jeep, que também ganhou 0,4% de mercado na comparação.

A FCA ainda liderou o segmento de picapes, com as Fiat Strada e Fiat Toro nos dois primeiros lugares, e os modelos Jeep Renegade e Jeep Compass sustentando uma expansão.

"A demanda pela Nova Fiat Strada, lançada no Brasil em 26 de junho, está muito acima das nossas expectativas. Tivemos demanda de mais de cinco mil unidades em menos de uma semana de vendas, antes mesmo do lançamento da campanha publicitária. Também estamos animados com a composição do mix, pois 40% da demanda é para a versão Volcano, top de linha, que representa o território 'Play' e aspiracional da Nova Fiat Strada", destacou o presidente da FCA para a América Latina, Antonio Filosa.

Já na Argentina, a marca ficou na segunda colocação, com 15,4% do market share. Nos demais países da América Latina, excluído o México, a participação da FCA somou 3%.

Vendas na América Latina sofrem efeitos da pandemia

Em números totais, as vendas de veículos na América Latina (excluído o México) somaram 354,9 mil veículos, o que representa uma queda de 58,3% em relação ao primeiro trimestre de 2020 e uma retração de 66,2% na comparação com o mesmo período do ano passado.

Os números refletem os efeitos da pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2) no setor, assim como aconteceu com a maior parte da indústria mundial. Cortando para o Brasil, que tem o maior mercado, foram vendidos 230,5 mil veículos, uma queda de 56,7% em relação ao primeiro trimestre e de 65,5% na comparação com o ano passado.

No entanto, os dados de junho mostram uma recuperação do setor automotivo, com a venda de 189,7 mil carros, uma alta de 90,6% na comparação com maio. O número é 43,9% menor do que o registrado no mesmo mês de 2019. O Brasil foi o mercado mais ativo, com 122,7 mil emplacamentos (alta de 117% em relação a maio; queda de 42,5% em relação a junho 2019).

O presidente da FCA para a América Latina ressalta que, mesmo com as reaberturas, a compra online de veículos é algo que veio para ficar no setor.

"A tendência de compras online se acelerou muito nos últimos meses e deve continuar em alta mesmo depois da retomada gradual das atividades. Consolidou-se um novo comportamento digital, que não recuará. Estamos preparados para atender os clientes nos ambientes real e virtual", explicou Filosa. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA