Conselheiros anunciam saída da Petrobras após ação de Bolsonaro

Intervenção de Bolsonaro na Petrobras causou turbulência no mercado
Intervenção de Bolsonaro na Petrobras causou turbulência no mercado (foto: EPA)
12:18, 03 MarSÃO PAULO ZLR

(ANSA) - Quatro conselheiros da Petrobras anunciaram que não continuarão em seus cargos devido à decisão do presidente Jair Bolsonaro de substituir o mandatário da estatal, Roberto Castello Branco, pelo general Joaquim Silva e Luna.

João Cox Neto, Nivio Ziviani, Paulo Cesar de Souza e Silva e Omar Carneiro da Cunha disseram que não aceitarão ser reconduzidos a seus postos no conselho de administração na próxima assembleia extraordinária da Petrobras.

"Em virtude dos recentes acontecimentos relacionados às alterações na alta administração da Petrobras, e dos posicionamentos externados pelo representante maior do acionista controlador da mesma [Bolsonaro], não me sinto na posição de aceitar a recondução de meu nome como conselheiro desta renomada empresa, na qual tive o privilégio de servir nos últimos sete meses", disse Carneiro da Cunha, segundo comunicado ao mercado divulgado pela empresa.

De acordo com o conselheiro, a mudança decidida pelo presidente da República, "embora amparada nos preceitos societários, não se coaduna com as melhores práticas de gestão." A recondução dos quatro conselheiros havia sido proposta pela União, controladora da Petrobras.

Apesar da promessa de campanha de adotar uma postura liberal na economia, Bolsonaro decidiu trocar Castello Branco pelo general Silva e Luna por discordar da política de preços da estatal para os combustíveis. (ANSA)
   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA