Governo da Itália pede para ampliar déficit em 40 bilhões de euros

Dinheiro será usado em pacote de estímulo à economia

Vista externa do Palácio Chigi, sede do governo da Itália, em Roma
Vista externa do Palácio Chigi, sede do governo da Itália, em Roma (foto: ANSA)
13:45, 15 AbrROMA ZLR

(ANSA) - O governo da Itália aprovou nesta quinta-feira (15) um documento que pede autorização do Parlamento para ampliar o déficit fiscal em 2021 em 40 bilhões de euros.

Segundo o gabinete do premiê Mario Draghi, esses recursos serão usados em um novo pacote de apoio a empresas e à retomada da economia. Com isso, a previsão de déficit neste ano deve saltar de 8,8% para 11,8% do produto interno bruto (PIB).

Em janeiro, ainda na gestão de Giuseppe Conte, o Parlamento já havia aprovado um pacote de 32 bilhões de euros para estimular a economia.

"O novo procedimento terá como destinatários principais os trabalhadores autônomos e as empresas, concentrando os recursos no reforço da resiliência das companhias mais impactadas pelos fechamentos", diz o Documento de Economia e Finanças (DEF) aprovado nesta quinta pelos ministros.

De acordo com o DEF, a relação déficit/PIB só voltará a ficar abaixo de 3%, como exigido pelas regras de austeridade da União Europeia no pré-pandemia, a partir de 2025. Dessa forma, a dívida pública italiana deve chegar a 159,8% do PIB em 2021, maior índice em mais de 100 anos, sendo que o país lutou em duas guerras mundiais nesse período. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA