Alitalia coloca marca à venda por 290 milhões de euros

Expectativa é de que leilão seja vencido pela ITA

Alitalia será descontinuada para dar lugar à ITA
Alitalia será descontinuada para dar lugar à ITA (foto: ANSA)
15:00, 17 SetROMA ZLR

(ANSA) - A menos de um mês de encerrar suas atividades, a companhia aérea italiana Alitalia publicou nesta sexta-feira (17) o edital para o leilão de sua marca, que será vendida com o preço-base de 290 milhões de euros, algo equivalente a R$ 1,8 bilhão pela cotação atual.

Poderão participar empresas detentoras de licenças para transporte aéreo e com patrimônio de pelo menos 200 milhões de euros, mas a expectativa é de que a marca seja adquirida pela Italia Trasporto Aereo (ITA), companhia criada pelo governo italiano para substituir a Alitalia e que iniciará seus voos em 15 de outubro.

Os pedidos de admissão no leilão podem ser feitos entre 18 e 30 de setembro, enquanto o prazo final para apresentação das ofertas vinculantes foi estipulado em 4 de outubro, às 14h (horário de Roma).

Caso não haja interessados em pagar o preço mínimo de 290 milhões de euros, a Alitalia abrirá uma segunda fase do leilão para considerar também propostas de valores inferiores. A marca será cedida ao vencedor da disputa ainda em 2021.

Pertencente oficialmente à holding Compagnia Aerea Italiana (51%) e à Etihad Airways (49%), a Alitalia está sob intervenção do governo desde maio de 2017 por causa de uma crise de liquidez que a deixou à beira da falência.

Decretos aprovados pelo Parlamento no ano passado autorizam um aporte de até 3 bilhões de euros para reestatizar a companhia aérea, que será rebatizada como ITA, ao menos inicialmente.

A Alitalia vem sobrevivendo graças a empréstimos do governo que totalizam 1,3 bilhão de euros - todos eles feitos entre 2017 e o fim de 2019 -, sendo que a União Europeia já determinou que o repasse de pelo menos 900 milhões desse montante foi ilegal e terá de ser restituído.

O plano de criar a ITA para substituir a Alitalia surgiu durante a pandemia do novo coronavírus, quando a UE flexibilizou suas normas sobre ajudas estatais para fazer frente à crise econômica no bloco.

A nova companhia começará com uma frota de 52 aviões, quantia que será aumentada para 78 em 2022 e 105 até o fim de 2025. O plano industrial ainda prevê cerca de 2,8 mil funcionários na ITA, com o objetivo de chegar até 5,75 mil em 2025 - a atual Alitalia tem 10,5 mil empregados.

A empresa terá como hubs os aeroportos de Fiumicino, nos arredores de Roma, e Linate, em Milão, que cobrirão inicialmente 45 destinos (podendo chegar a 74 até 2025), incluindo Nova York, Boston, Miami, Washington, Los Angeles, Tóquio, São Paulo e Buenos Aires. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA