Congresso dos EUA chega a acordo para evitar default

Tesouro arrisca ficar sem dinheiro em 18 de outubro

Eventual default nos EUA poderia contaminar toda a economia global
Eventual default nos EUA poderia contaminar toda a economia global (foto: EPA)
14:04, 07 OutWASHINGTON ZLR

(ANSA) - O líder do Partido Democrata no Senado, Chuck Schumer, anunciou um acordo com os republicanos para aumentar o teto da dívida pública até dezembro de 2021 e evitar o risco de default, ao menos por enquanto.

O pacto foi alcançado após os democratas terem concordado com uma oferta da oposição para elevar o limite de endividamento por apenas dois meses, o que pode só adiar o problema até o fim do ano.

"Chegamos a um acordo para estender o teto da dívida até o começo de dezembro, e esperamos aprovar isso ainda hoje", declarou Schumer.

A solução chega cerca de 10 dias depois de a secretária do Tesouro, Janet Yellen, ter alertado que o governo ficaria sem dinheiro para arcar com suas obrigações a partir de 18 de outubro.

Um eventual default dos EUA poderia contaminar o restante da economia do planeta, no momento em que os países tentam se levantar após meses de restrições por conta da pandemia de Covid-19.

Já o presidente Joe Biden havia chamado os republicanos de "irresponsáveis", uma vez que o aumento do teto seria necessário para conseguir cobrir as dívidas contraídas ainda na gestão de Donald Trump, quando o governo cortou impostos dos mais ricos e teve de aumentar os gastos para fazer frente à pandemia.

Atualmente, o valor máximo da dívida americana é de pouco mais de US$ 28 trilhões. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA