Biden libera reservas de petróleo para conter alta dos preços

EUA vão tirar 50 milhões de barris de depósitos

Inflação nos EUA afetou popularidade de Biden
Inflação nos EUA afetou popularidade de Biden (foto: EPA)
13:56, 23 NovROMA ZLR

(ANSA) - O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, determinou nesta terça-feira (23) a liberação de 50 milhões de barris de petróleo das reservas estratégicas do país para combater a disparada nos preços dos combustíveis.

Segundo a Casa Branca, essa ação foi coordenada com outras grandes nações consumidoras de petróleo, como China, Coreia do Sul, Índia, Japão e Reino Unido. Essas reservas ficam em depósitos subterrâneos no Texas e na Louisiana e são as maiores do mundo.

Com a diminuição das restrições por conta da pandemia de Covid-19, a produção não conseguiu acompanhar a crescente demanda por petróleo, causando uma disparada nos preços no mundo todo.

De acordo com uma associação automotiva dos EUA, o preço médio do galão de gasolina no país está em US$ 3,41, maior valor desde 2014.

A liberação dos barris da reserva americana deve começar em meados de dezembro, e o governo Biden não descarta adotar novas medidas contra a alta nos preços.

"O presidente está pronto para tomar ações adicionais se for necessário e está preparado para usar toda a sua autoridade, trabalhando em coordenação com o resto do mundo, para manter um fornecimento adequado enquanto saímos da pandemia", disse a Casa Branca.

A disparada no custo dos combustíveis afetou inclusive a popularidade de Biden, que hoje é aprovado por apenas 40% dos americanos. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA