Luca di Montezemolo deixa a presidência da Ferrari

Sergio Marchionne assumirá o cargo em outubro

Montezemolo deixa o comando da Ferrari em outubro. Marchionne assume o cargo (foto: ANSA)
09:00, 10 SetTURIM ZGT

(ANSA) - Chegou ao fim a era de Luca di Montezemolo na Ferrari. No comando da escuderia desde 1991, o presidente deixará o cargo no dia 13 de outubro, quando se encerram os festejos de 60 anos da marca na América. Em comunicado da Fiat Chrysler Automobiles (FCA) divulgado nesta quarta-feira (10), Sergio Marchionne, até então CEO da empresa, será o novo mandatário da escuderia.

 

"Montezemolo levou a empresa a resultados muito importantes, seja do ponto de vista econômico ou do ponto de vista esportivo. Uma longa história de grandes sucessos na Ferrari, onde Montezemolo teve resultados de absoluta relevância, com um time de excelência mundial", escreveu a empresa em nota para a imprensa.

 

O presidente aproveitou para mostrar toda a sua paixão pela marca que liderou, afirmando que "a Ferrari é a mais bela empresa do mundo e para mim foi um grande privilégio e uma grande honra ser seu líder. Ela representa a coisa mais importante da minha vida".

 

Ele ainda afirmou que a decisão de deixar a escuderia foi dele. "Eu decidi deixar a presidência da empresa após quase 23 anos maravilhosos e inesquecíveis, após ter passado anos ao lado de Enzo Ferrari nos anos 1970", ressaltou.

 

Montezemolo aproveitou para agradecer a todos que participaram da história da empresa. "O meu agradecimento se estende a todas as mulheres e aos homens excepcionais da fábrica, dos escritórios, das corridas, dos mercados de todo o mundo que foram os verdadeiros motivos destes anos de grande crescimento da empresa, das tantas memoráveis vitórias e do sucesso da marca, que graças a eles se tornou uma das mais fortes do mundo", falou Montezemolo.

 

Já o novo líder da empresa, aproveitou para agradecer o trabalho do mandatário e falar sobre o futuro da marca. "Montezemolo levou a Ferrari a um nível tecnológico e organizacional de excelência e obteve importantes resultados econômicos. Quero agradecer pessoalmente Luca por tudo o que fez pela Fiat, pela Ferrari e por mim", disse Marchionne.

 

O presidente do grupo FCA, John Elkann, disse que "quer agradecer Luca em nome da minha família e pessoalmente por tudo que fez pela Fiat e pela Ferrari" "Para Luca vão minhas saudações pelo seu futuro profissional e empreendedor com a esperança, certamente compartilhada, de ver novamente a Ferrari vencer. Montezemolo assumiu diversas posições de responsabilidade, a partir da presidência da Fiat de 2004 a 2010, superando momentos de dificuldade, mas também de grande satisfação", falou Elkann.

 

A saída de Montezemolo se deu após dias de boatos que ele estaria deixando a equipe por culpa dos maus resultados na Fórmula 1 nos últimos anos. Desde 2007, a equipe italiana não consegue um título mundial ou, ao menos, vencer o Campeonato de Construtores da categoria. Há especulações de que ele irá assumir algum cargo importante, talvez até a presidência, da companhia aérea italiana Alitalia.

 

História de Montezemolo na Ferrari

 

A história do presidente na escuderia iniciou há mais de 40 anos. O dirigente multifunções, que dirige a mais prestigiada equipe do automobilismo, começou sua carreira aos 23 anos, em 1970. Conduzido ao cargo de assistente de direção, teve a melhor experiência que um jovem e brilhante dirigente poderia ter.

 

O jovem italiano conseguiu dirigir a equipe para conquistar três títulos de construtores na F1 (1975-76-77) e dois mundiais de pilotos com Niki Lauda (1975 e 1977). Após isso, Montezemolo seguiu trabalhando em mil funções administrativas da empresa e voltou à Ferrari em 1991.

 

Em 2000, após um longo período sem conquistas, o diretor festejou um novo título mundial para Maranello com Schumacher. Começa, então, o período das maravilhas. O alemão venceu os títulos de 2001 a 2004, dominando absolutamente a categoria. Com uma atuação genial de Michael Schumacher e o conhecimento técnico de Jean Todt, a equipe é imbatível.

 

Em 2007, na última dupla de títulos - pilotos e construtores - com Kimi Raikkonen. Em 2008, a última vitória no campeonato de Construtores. A partir deste ano, as derrotas começam. Mesmo com Fernando Alonso, a equipe não consegue deslanchar e a crise em Maranello fica exposta. Porém, ninguém foi tão campeão na F1 quanto ele. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA