Com abandonos e protesto, Bottas vence GP da Áustria de F1

Corrida é a 1ª da temporada 2020 após paralisação por pandemia

Corrida é a 1ª da temporada 2020 após paralisação por pandemia
Corrida é a 1ª da temporada 2020 após paralisação por pandemia (foto: AFP)
13:53, 05 JulROMA ZCC

(ANSA) - O piloto da Mercedes Valtteri Bottas venceu, neste domingo (5), o Grande Prêmio da Áustria, a primeira corrida da temporada 2020 de Fórmula 1, em uma disputa marcada por abandonos, punição e protesto contra o racismo.

Com nove abandonos, seja por problemas mecânicos ou incidentes, o finlandês superou um ataque de seu companheiro de equipe, o britânico Lewis Hamilton, e garantiu sua oitava vitória na categoria.

Na prova disputada no Red Bull Ring, em Spielberg, o companheiro de equipe de Bottas acabou punido em cinco segundos após tocar Alexander Albon e caiu de segundo para quarto. Este é o pior resultado de Hamilton em uma primeira corrida desde 2014, quando ele abandonou o GP da Austrália.

A surpresa da disputa ficou com a Ferrari, que garantiu a segunda colocação com Charles Leclerc, com uma excelente atuação apesar das limitações da Ferrari. Já Sebastian Vettel amargou a 10ª posição.

"É uma surpresa enorme, mas boa. Acho que fizemos tudo de forma perfeita hoje. Tivemos um pouco de sorte, mas também faz parte da corrida. Esse era o objetivo, aproveitar todas as oportunidades", declarou Leclerc.

Já o terceiro lugar do pódio ficou com o britânico Lando Norris, da McLaren. Carlos Sainz Jr., da mesma equipe, fechou o circuito na quinta colocação. Completaram a zona de pontuação, Sergio Pérez (Racing Point), Pierre Gasly (AlphaTauri), Esteban Ocon (Renault) e Antonio Giovinazzi (Alfa Romeo).

Antes da prova, os pilotos realizaram um protesto contra o racismo. Vestindo camisas com a frase "Black Lives Matter" (Vidas Negras Importam, em tradução livre) e a mensagem "End Racism" (Fim ao Racismo), os pilotos se ajoelharam em frente à linha de chegada.

Dos 20 competidores, Max Verstappen, Antonio Giovinazzi, Daniil Kvyat, Carlos Sainz Jr., Leclerc e Kimi Raikkonen não fizeram o símbolo antirracista. A segunda etapa do campeonato acontece em uma semana, no mesmo local. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA