Hamilton diz que não pediu para ninguém se ajoelhar em ato

Leclerc e Verstappen não se ajoelharam durante o protesto

Protesto aconteceu antes do início do GP da Áustria
Protesto aconteceu antes do início do GP da Áustria (foto: AFP)
11:59, 06 JulROMA ZRS

(ANSA) - O piloto Lewis Hamilton, da Mercedes, afirmou neste domingo (5) que não pediu para ninguém se ajoelhar durante o protesto contra o racismo realizado no Grande Prêmio da Áustria de Fórmula 1.

"Eu nunca pedi ou esperava que alguém se ajoelhasse. Eu não mencionei nada em nenhum momento. Isso veio da Associação de Pilotos (GPDA) e da Fórmula. Agradeço aqueles que se ajoelharam, acho que é uma mensagem poderosa mas, você ajoelhar ou não, não vi mudar o mundo", disse o britânico.

Quase todos os pilotos fizeram o gesto antirracista antes do início da prova, com exceção de Charles Leclerc, Max Verstappen, Kimi Raikkonen, Antonio Giovinazzi, Daniil Kyviat e Carlos Sainz Jr.

Os comentários de Hamilton podem ter sido uma resposta ao tablóide britânico "Daily Mail", que afirmou que os pilotos "ficaram incomodados com a insistência" do hexacampeão de F1 "em forçá-los a se ajoelhar".

A primeira prova da temporada de 2020 da categoria, que foi vencida pelo finlandês Valtteri Bottas, da Mercedes, foi marcada por abandonos e punição. Nove carros não concluíram a prova e Hamilton foi punido em cinco segundos após tocar Alexander Albon, da Red Bull Racing.

Leclerc surpreendeu e fechou a prova em segundo, já Lando Norris, da McLaren, completou o pódio do GP. A segunda etapa do campeonato acontece em uma semana, novamente em Spielberg.(ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA