Suárez pede desculpas e promete nunca mais morder

Atacante uruguaio divulgou carta pedindo perdão a Chiellini

Carta de Luis Suárez pedindo desculpas a Chiellini (foto: Ansa/Reprodução)
09:51, 01 JulROMA ZBF

(ANSA) - O atacante uruguaio Luis Suárez pediu desculpas pela mordida que deu no zagueiro italiano Giorgio Chiellini, na última fase de grupos da Copa do Mundo.

"Estou profundamente arrependido pelo que aconteceu. Peço desculpas a Chiellini e a toda família do futebol. Também me desculpo com o público. Não acontecerá nunca mais um incidente deste tipo", escreveu o jogador, em sua conta no Twitter.

Suárez foi suspenso pela Fifa por nove jogos e quatro meses de afastamento, além de ter de pagar uma multa de 100 mil de francos suíços. Com a punição, o uruguaio foi obrigado a deixar a seleção, que acabou sendo eliminada no último sábado, pela Colômbia.

"Após dias em casa com minha família, tive a oportunidade de me acalmar e refletir sobre o que realmente ocorreu na partida do dia 24 de junho, entre Itália e Uruguai", diz a carta publicada por Suárez. O documento foi divulgado em inglês e em espanhol.

Ao receber a notícia da suspensão, Suárez chorou na concentração da seleção uruguaia e, em seguida, pegou um avião rumo a Montevidéu.

Os torcedores uruguaios demonstraram solidariedade ao atacante, que atua pelo Liverpool (ING). Até o presidente do Uruguai, José Mujica, se pronunciou sobre o caso e teceu duras críticas à Fifa pela condenação. "A Fifa é um bando de velhos filhos da puta. É justo que punam, mas não que adotem medidas fascistas", disse o mandatário, em uma entrevista na noite de ontem (29).

Chiellini, que ficou com a marca da mordida em seu ombro, também disse que a penalidade da Fifa era "excessiva". No jogo, a Itália perdeu de 1 a 0 e foi eliminada da Copa do Mundo.

Resposta de Chiellini

O zagueiro Giorgio Chiellini postou em seu Twitter uma resposta ao atacante Luis Suárez. "Está tudo esquecido. Espero que a Fifa reduza sua pena", escreveu o zagueiro que foi mordido pelo atacante.(ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA