Fase de oitavas de final da Copa teve muita emoção

Dos 8 jogos, 5 foram para a prorrogação e 2 para os pênaltis

Brasil e Chile foi um dos jogos mais emocionantes das oitavas de final.
Brasil e Chile foi um dos jogos mais emocionantes das oitavas de final. (foto: EPA)
12:52, 02 JulSÃO PAULO ZGT

(ANSA) - Para quem gosta de fortes emoções, a fase das oitavas de final foi bem generosa. Pela primeira vez, desde que a Copa do Mundo é disputada com 32 seleções, dos oito jogos das oitavas, cinco foram para a prorrogação - e dois deles para a disputa de pênaltis.

A tensão já começou na primeira partida dessa fase, no dia 28 de junho. Brasil e Chile fizeram um confronto disputado, em 1 a 1, e, com uma bola no travessão no último minuto do tempo normal por parte dos chilenos, a partida foi para a prorrogação. Como o resultado permaneceu o mesmo, a disputa dos pênaltis teve o protagonismo de Júlio César defendendo duas cobranças dos chilenos.

A única partida "fácil" dessa fase foi a seguinte, entre Colômbia e Uruguai. Os colombianos imprimiram seu ritmo e venceram por 2 a 0 os uruguaios, que sentiram a falta de Luis Suárez - sem nenhum susto.

No dia seguinte, mais sufoco. A Holanda venceu por 2 a 1 o México com gols nos últimos seis minutos de partida. Sneijder aos 42 minutos e Huntelaar aos 48, cobrando pênalti, garantiram a vaga dos holandeses.

Já Costa Rica e Grécia mantiveram a tradição de uma prorrogação por dia. O resultado de 1 a 1 no tempo normal e na prorrogação, fez com que as duas seleções decidissem a vaga nos pênaltis. E a Costa Rica fez história ao passar, após Gekas errar o último chute para os gregos.

No dia 30 de junho, duas campeãs mundiais sofreram para ganhar de duas seleções africanas. Primeiro, a França suou para bater a Nigéria por 2 a 0 - apesar do resultado ter sido obtido no tempo regulamentar. Já a Alemanha precisou da prorrogação para conseguir furar a defesa da Argélia e vencer por 2 a 1. Um detalhe é que todos os gols foram marcados no tempo extra, sendo o do argelino no último minuto do segundo tempo.

Ontem (01), mais sofrimento. A Argentina venceu por 1 a 0 com gol de Dí Maria no fim do segundo tempo da prorrogação. E os argentinos tiveram que contar com a ajuda da trave para evitar o empate dos suíços aos 16 minutos da última etapa.

Já Bélgica e Estados Unidos fizeram um jogo emocionante - foram 38 finalizações belgas na partida contra 6 dos norte-americanos. E a artilharia pesada deu certo na prorrogação: 2 a 1 para a Bélgica e classificação para as quartas de final.

Os resultados também trouxeram um fato inédito: as oito seleções que venceram seus grupos passaram para as quartas. Na última Copa, sete haviam passado. Em 2006, 6 equipes e em 2002 foram apenas 4.

As disputas pelas vagas das semifinais ocorrem na sexta-feira (04), com Brasil x Colômbia e França x Alemanha, e no sábado (05), Holanda x Costa Rica e Argentina x Bélgica. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA