Ministro italiano diz que CR7 violou normas anti-Covid

Craque viajou de Portugal para a Itália com novo coronavírus

Jogador chegou em Turim nesta quarta-feira
Jogador chegou em Turim nesta quarta-feira (foto: EPA)
14:28, 15 OutROMA ZRS

(ANSA) - O ministro do Esporte da Itália, Vincenzo Spadafora, afirmou nesta quinta-feira (15) que o craque Cristiano Ronaldo, da Juventus, violou as normas anti-Covid ao viajar para Turim com novo coronavírus (Sars-CoV-2).

O astro descobriu na terça-feira (13) que havia contraído o novo coronavírus, quando ainda estava concentrado para a próxima partida da seleção portuguesa. Um dia depois, uma ambulância aérea levou CR7 de Portugal para a Itália, onde ele passará o período de quarentena.

Em uma entrevista ao programa "Il Mix delle Cinque", da rádio Uno, Spadafora declarou que o atacante violou o protocolo anti-Covid ao viajar entre os dois países com coronavírus.

"Sim, penso que violou sim, mas só se não houve uma autorização específica das autoridades sanitárias", declarou o ministro.

CR7 ficará 10 dias em isolamento, já que o Comitê Técnico-Científico (CTS) reduziu o período de quarentena. O camisa 7 ficará de fora dos próximos dois jogos da Juve contra Crotone, pelo Campeonato Italiano, e Dínamo de Kiev, pela Liga dos Campeões.

Ronaldo poderá retornar aos gramados no dia 25 de outubro, diante do Verona, pela quinta rodada da Série A. (ANSA).
   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA