CR7 diz que não violou normas anti-Covid em viagem para Itália

Ministro pediu para o craque não ser 'arrogante' e 'mentiroso'

CR7 testou positivo para o novo coronavírus
CR7 testou positivo para o novo coronavírus (foto: ANSA)
14:15, 16 OutROMA ZRS

(ANSA) - O craque Cristiano Ronaldo, da Juventus, rebateu o ministro do Esporte da Itália, Vincenzo Spadafora, ao afirmar nesta sexta-feira (16) que não violou nenhuma norma contra o novo coronavírus (Sars-CoV-2) em sua viagem para Turim.

O astro, que contraiu a doença, optou em passar a quarentena na capital do Piemonte e viajou de Portugal para a Itália com coronavírus. Spadafora, por sua vez, alegou que o atacante violou as regras anti-Covid.

"Estou respeitando o protocolo, não quebrei ele como foi dito: é mentira. Deixei Portugal porque eu e a minha equipe nos certificamos de cumprir todos os procedimentos. Voltei para a Itália de ambulância aérea, não tive contato com ninguém, nem mesmo em Turim", declarou o craque em um vídeo ao vivo no Instagram.

Na live, CR7 ainda comentou que se sente bem e está assintomático. O português também agradeceu as mensagens de apoio que recebeu dos fãs.

O ministro Spadafora, por sua vez, comentou mais uma vez sobre o caso em uma entrevista à ANSA.

"A notoriedade e habilidade de certos jogadores não os autorizam a ser arrogantes, desrespeitosos com as instituições e a mentir. Muito pelo contrário, quanto maior é ainda mais necessário sentir a responsabilidade de pensar antes de falar e de dar o bom exemplo", comentou o italiano.

Ronaldo precisará ficar 10 dias em isolamento, já que o Comitê Técnico-Científico (CTS) reduziu o período de quarentena. O camisa 7 ficará de fora dos próximos dois jogos da Juve contra Crotone, pelo Campeonato Italiano, e Dínamo de Kiev, pela Liga dos Campeões. (ANSA).
   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA