Teste de paternidade impede cremação de corpo de Maradona

Jovem pediu um exame de DNA para verificar se o ídolo é seu pai

Maradona morreu no dia 25 de novembro
Maradona morreu no dia 25 de novembro (foto: ANSA)
12:54, 17 DezROMA ZRS

(ANSA) - A Justiça da Argentina proibiu a cremação do corpo do ex-craque Diego Maradona, morto no último dia 25 de novembro, devido a um processo de paternidade movido por uma jovem.

Maradona teve duas filhas (Dalma e Giannina) em seu casamento com Claudia Villafañe e ao longo de sua vida reconheceu três outros filhos (Diego Jr, Jana e Diego Fernando).

Após a morte do ídolo, a argentina Magalí Gil, de 25 anos, solicitou um teste de DNA para tentar comprovar que Maradona é seu pai biológico.

Gil, que foi adotada, declarou que há dois anos sua mãe biológica, Claudia Mariana, revelou que seu verdadeiro pai poderia ser Maradona.

"Minha mãe biológica entrou em contato comigo para afirmar que meu pai seria Maradona. Eu sempre soube que era adotada e conhecia o nome da minha mãe biológica. No entanto, o que não sabia, era quem era meu pai. A surpresa da notícia me comoveu e despertou a necessidade de conhecer minha identidade, um direito universal", disse a suposta filha de Maradona em um vídeo nas redes sociais.

Outros seis casos de paternidade tramitam na Justiça e todos os envolvidos possuem idades entre 19 e 25 anos. Entre eles estão dos cubanos, Javielito, Lu, Johanna e Harold, e dos argentinos Santiago Lara e Magalí.

Os restos mortais do "Pibe de Oro" estão enterrados no cemitério Jardín de Bella Vista, localizado na periferia de Buenos Aires, para serem cremados. No entanto, a ação foi barrada pela Justiça de San Isidro até que as investigações sejam concluídas.

Maradona morreu no último dia 25, aos 60 anos de idade, após sofrer uma parada cardiorrespiratória em sua casa em Tigre, na Argentina. (ANSA).
   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA