Chelsea e Manchester City devem sair de Superliga após polêmicas

Informação foi divulgada pela imprensa em meio a protestos

Protesto contra criação da Superliga no Reino Unido (foto: EPA)
17:27, 20 AbrROMA ZCC

(ANSA) - O Chelsea e o Manchester City, dois dos clubes fundadores da nova "Superliga", estariam preparando a documentação necessária para deixar o torneio, informou a rede BBC na tarde desta terça-feira (20).

Até o momento, não há confirmação oficial, mas a possível saída dos clubes chega pouco depois de o projeto ser alvo de diversos protestos desencadeados no Reino Unido por torcedores, imprensa e entidades. Os atos contaram com o apoio do governo do premiê Boris Johnson, que informou que "se for necessário" irá criar uma legislação contra a nova competição.

Caso os clubes se retirem da competição, restarão ainda quatro ingleses na Superliga: Manchester United, Arsenal, Tottenham e Liverpool. No entanto, há rumores de que os dois primeiros também abandonem o torneio.

Nesta tarde, inclusive, o presidente do Manchester United, Ed Woodward, renunciou ao cargo após o clube ser alvo de duras críticas. Ele, porém, permanecerá no cargo até o final de 2021.

Já a desistência do Chelsea estaria ligada à decisão do presidente do clube, Roman Abramovich, em virtude da repercussão negativa, principalmente depois que cerca de mil torcedores protestaram no estádio Stamford Bridge.

Segundo informações da rádio espanhola Cadena Ser, existe a possibilidade de uma reunião ser realizada nesta noite entre os fundadores da Superliga para discutirem se a criação do torneio será mantida.

A participação do Barcelona no projeto, por sua vez, estaria sujeita à aprovação dos membros, que ainda precisam se manifestar. Além desse clubes, estão na "Superliga" Inter de Milão, Juventus, Milan, Atlético de Madrid e Real Madrid. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA