Figc rejeita recurso da Lazio e suspende Lotito por 12 meses

Multa passou para 200 mil euros por violação de regra anti-Covid

Presidente da Lazio será afastado das atividades esportivas
Presidente da Lazio será afastado das atividades esportivas (foto: ANSA)
17:00, 30 AbrROMA ZCC

(ANSA) - O Tribunal de Apelação da Federação Italiana de Futebol (Figc) rejeitou um recurso apresentado pela Lazio e puniu o presidente do clube, Claudio Lotito, com 12 meses de suspensão das atividades esportivas, por descumprimento do protocolo anti-Covid.

A informação foi confirmada pela ANSA nesta sexta-feira (30) e diz respeito à investigação contra a Lazio iniciada em outubro de 2020, quando três atletas, cujas identidades não foram reveladas, testaram negativo para o coronavírus antes de jogos do Campeonato Italiano, mas depois positivo para partidas da Liga dos Campeões.

Os jogadores testaram positivo no dia 27 de outubro. Depois, tiveram resultado negativo e estiveram em campo na vitória por 4 a 3 contra o Torino, no dia 1º de novembro. Antes da partida contra o Zenit, no dia 4 de novembro, pela Champions, o trio voltou a testar positivo.

Desta forma, o clube foi acusado de fraudar testes de jogadores e, durante julgamento esportivo na primeira instância no fim de março, a Justiça impôs sete meses de suspensão a Lotito e 12 meses aos médicos do clube, Ivo Pulcini e Fábio Rodia, por violarem as normas federais e descumprimento dos protocolos de saúde vigentes.

Em recurso apresentado ao juiz Mario Luigi Torsello, o advogado de Lotito, Gian Michele Gentile, pediu a absolvição total das acusações. No entanto, a punição do presidente da Lazio aumentou em cinco meses e a dos médicos foram mantidas. Além disso, a multa de 150 mil euros que havia sido aplicada subiu para 200 mil euros. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA