Conmebol anuncia que Copa América será disputada no Brasil

Argentina desistiu de sediar evento por conta da pandemia

Copa América será realizada pela segunda vez consecutiva no Brasil
Copa América será realizada pela segunda vez consecutiva no Brasil (foto: ANSA)
11:34, 31 MaiSÃO PAULO ZGT

(ANSA) - A Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) anunciou nesta segunda-feira (31) que a Copa América, que começará no dia 11 de junho, será realizada no Brasil. A divulgação vem após a Argentina desistir de sediar o evento por conta do agravamento da pandemia de Covid-19.

"A Copa América 2021 será jogada no Brasil. As datas de início e final do torneio estão confirmadas. As sedes e a tabela serão informadas pela Conmebol nas próximas horas. O torneio de seleções mais antigo do mundo fará vibrar todo o continente!", publicou a entidade em sua conta no Twitter. A Conmebol ainda agradeceu a Jair Bolsonaro pela realização do evento no país.

 Segundo fontes esportivas, a decisão pelo Brasil foi por conta da boa estrutura de estádios padrão Fifa e da "expertise" na realização da última Copa América, realizada em 2019.

Após o adiamento da competição de 2020 para 2021 por conta do coronavírus Sars-CoV-2, a Copa América seria disputada em uma parceria entre Argentina e Colômbia. Mas, os colombianos anunciaram que estavam abdicando da competição por conta da intensificação de uma grave crise social, com protestos diários contra o governo nacional.

Assim, os argentinos sediariam sozinhos o evento. No entanto, neste domingo (30), o governo de Buenos Aires informou que não realizaria mais o torneio por conta do agravamento da pandemia de Covid-19 e que a prioridade seria a saúde dos cidadãos.

No entanto, a situação da crise sanitária no Brasil também não é boa. Conforme o último boletim do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), o país soma mais de 16,5 milhões de casos e quase 462 mil mortes. A média móvel de casos está em 61,5 mil e a de óbitos em 1.838. (ANSA).
   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA