Draghi defende final da Euro em país com pandemia controlada

Uefa, porém, disse não ter planos para alterar local de partida

Jogo no estádio Olímpico em Roma
Jogo no estádio Olímpico em Roma (foto: EPA)
16:13, 21 JunROMA ZCC

(ANSA) - O primeiro-ministro da Itália, Mario Draghi, defendeu na tarde desta segunda-feira (21) que a final da Eurocopa seja realizada em um país onde a pandemia de Covid-19 esteja controlada.

A partida está marcada para ocorrer em Wembley, na Inglaterra, no próximo dia 11 de julho, mas a hipótese de mudar o local do jogo tem sido cogitada caso o Reino Unido siga com regras rígidas com relação a entrada de estrangeiros, de acordo com jornais internacionais.

Hoje, durante coletiva de imprensa após encontro com a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, o premiê italiano ressaltou que é preciso trabalhar para que a final da competição "não se realize em países com muitas infecções", o que poderia favorecer a Itália, já que o país vê uma desaceleração nos números de casos e mortes pelo novo coronavírus Sars-CoV-2.

A prefeita de Roma, Virginia Raggi, rapidamente publicou um tuíte afirmando que a "cidade eterna" está preparada para receber o evento no estádio Olímpico.

"Passar a final da Eurocopa para Roma? Estamos prontos. Depois da bem sucedida abertura da Uefa2020, Roma e Itália mostraram que sabem organizar grandes eventos internacionais", escreveu Raggi no Twitter.

Apesar da expectativa, a Uefa divulgou um comunicado no qual reforça que "não há planos" para alterar o local da disputa. "A Uefa, a Federação Inglesa e as autoridades britânicas estão trabalhando em conjunto para organizar com sucesso as semifinais e a final da Euro em Wembley e não há planos para mudar o local dessas partidas". (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA