Jogadores da Inglaterra recebem apoio após ataques racistas

Uefa, FA e Boris Johnson condenaram os insultos contra os atletas

Rashford desperdiçou uma das cobranças da Inglaterra
Rashford desperdiçou uma das cobranças da Inglaterra (foto: EPA)
12:05, 12 JulLONDRES ZRS

(ANSA) - O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, a Federação Inglesa de Futebol (FA) e a Uefa condenaram os comentários racistas contra os jogadores da Inglaterra que perderam pênaltis na final da Eurocopa contra a Itália.

Os principais alvos dos insultos foram Marcus Rashford, Jadon Sancho e Bukayo Saka, três atletas negros da seleção que perderam seus pênaltis na decisão de ontem (11), no Estádio de Wembley, em Londres.

"Esta seleção da Inglaterra merece ser tratada como heróis, não abusada racialmente nas redes sociais. Os responsáveis por esse abuso terrível deveriam ter vergonha de si mesmos", escreveu Johnson.

Em nota, a FA afirmou estar "chocada" com os indivíduos que estão por trás deste "comportamento nojento". A entidade prometeu que os responsáveis serão punidos.

"A FA condena fortemente todas as formas de discriminação e está chocada com o racismo online contra alguns de nossos jogadores nas redes sociais. Não poderíamos deixar mais claro que alguém por trás deste comportamento nojento não é bem-vindo na torcida. Faremos tudo o que estiver em nosso alcance para apoiar os atletas afetados", escreveu a federação.

A Uefa também condenou os insultos e declarou seu apoio aos jogadores afetados. A entidade confirmou que essas atitudes não possuem lugar no futebol e na sociedade.

A polícia da capital inglesa já revelou que está investigando os comentários racistas nas redes sociais para tentar identificar e punir os responsáveis.

O futebol inglês vem sofrendo muito nos últimos tempos com insultos racistas nas redes sociais, que miram principalmente jogadores depois de derrotas ou desempenhos ruins. Ao longo da Eurocopa, os atletas da seleção se ajoelharam antes dos confrontos para protestar contra o racismo. (ANSA).
   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA