Mihajlovic treinará seleção nacional de enfermeiros da Itália

Técnico se recuperou de leucemia e Covid e quer 'retribuir'

Mihajlovic treinará a seleção dos enfermeiros em um jogo amistoso no dia 30 de agosto
Mihajlovic treinará a seleção dos enfermeiros em um jogo amistoso no dia 30 de agosto (foto: Divulgação/Bologna)
12:27, 13 AgoBOLONHA ZGT

(ANSA) - O técnico do Bologna, Sinisa Mihajlovic, será o treinador da seleção nacional de futebol dos enfermeiros da Itália, informou a Federação Nacional da Ordem dos Profissionais da Enfermagem (Fnopi) nesta sexta-feira (13).

O técnico sérvio se recupera de uma longa batalha contra a leucemia e, no ano passado, também contraiu a Covid-19. Por isso, disse querer "retribuir" toda a gratidão que tem pelos profissionais.

"Ser um time significa estarmos unidos. Todos lutam pelo mesmo objetivo colocando em segundo plano as metas pessoais. A 'nossa' equipe, a dos enfermeiros, ficou do meu lado durante toda a minha doença, mesmo nos momentos em que meu humor estava péssimo. A sua dedicação e o seu amor pelo trabalho foram inspirações e apoio, além de serem exemplos para todos", disse Mihajlovic em entrevista publicada pelo time do Bologna.

O time será misto e fará sua estreia no próximo dia 30 de agosto, em Castiglion Fiorentino, no dia do XXV Prêmio Internacional Fair Play Menarini. Eles irão enfrentar uma equipe formada por membros de um projeto beneficente dedicado à infância.

Durante a pandemia, eles arriscaram a vida deles pela dos outros, sacrificando e carregando em seus rostos os sinais da fadiga. Eu não vou esquecer o que eles fizeram por mim e por todos nós e devemos ter uma maior consciência de seu profissionalismo. Como um gesto pequeno, eu estou orgulhoso de ser o técnico e de representar os enfermeiros italianos", acrescentou.

A camisa da seleção foi entregue para Mihajlovic pelas mãos da presidente da Fnopi, Barbara Mangiacavalli. Atualmente, a organização representa mais de 456 mil enfermeiros italianos. (ANSA).
   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA