Juventus e Inter passam por crise de goleiros na temporada

Recentes atuações de Szczesny e Handanovic são questionadas

Szczesny vem sendo criticado por suas recentes exibições na Juve
Szczesny vem sendo criticado por suas recentes exibições na Juve (foto: EPA)
12:32, 17 SetSÃO PAULO ZRS

(ANSA) - A Juventus e a Internazionale vivem situações opostas na atual edição da Série A do Campeonato Italiano, mas as duas equipes compartilham uma crise vivenciada por seus goleiros titulares: Wojciech Szczesny e Samir Handanovic.

Nas três rodadas já disputadas, a Velha Senhora não conquistou nenhuma vitória. Na derrota para o Napoli e no empate com a Udinese, o goleiro polonês da Juve falhou ao menos três vezes e fez a sua equipe perder valiosos pontos.

Szczesny foi contratado pela Juventus em julho de 2017, por cerca de 15 milhões de euros, e chegou para ser um substituto do lendário Gianluigi Buffon. Apesar da pressão, o polonês desempenhou um bom papel no início da sua trajetória, mas as atuações mais recentes estão tirando o sono dos torcedores piemonteses.

Tratado pela imprensa local como um "problema" para a Juve, as falhas de Szczesny podem escancarar ainda mais a vulnerável Juventus da temporada 2021/22, que vive um momento recheado de incertezas, principalmente após a saída do craque Cristiano Ronaldo.

Em uma entrevista ao portal "Tuttomercatoweb", o ex-goleiro Franco Tancredi, um dos maiores da história da Roma, afirmou que a Velha Senhora já precisa ir pensando em um substituto para Szczesny, mas considerou um erro da diretoria bianconera em não renovar por mais um ano o contrato de Buffon, que voltou ao Parma.

Jan Tomaszewski, um dos mais conhecidos goleiros da história da Polônia, disse em entrevista ao jornal "Corriere della Sera" que o compatriota da Juve deveria "fazer uma pausa" e deixar a Juve na próxima janela de transferências.

Apesar das falhas de Szczesny, o técnico da Juventus, Massimiliano Allegri, já reforçou a sua confiança no goleiro polonês. Ele, que conseguiu manter seu gol inviolado na vitória por 3 a 0 contra o Malmo, pela Liga dos Campeões, deverá ser titular no decisivo encontro com o Milan, no domingo (19).

Ao mesmo tempo, o reserva Mattia Perin, que fez uma boa temporada passada pelo Genoa, segue de olho na situação e sonhando em ganhar uma oportunidade na meta bianconera.

Em Milão, a Internazionale encara uma situação bem semelhante com Handanovic, um dos jogadores mais experientes do atual elenco nerazzurro. O esloveno é titular indiscutível do clube desde que saiu da Udinese, em 2012, mas alguns erros levantaram questionamentos se ele ainda é capaz de ocupar o papel de número um.

Um erro no empate em 2 a 2 contra a Sampdoria e sua falha na vitória por 3 a 1 diante do Hellas Verona fizeram Handanovic se tornar alvo de críticas, principalmente da torcida e da mídia local. O jornal "Libero", por exemplo, afirmou que o esloveno é um "problema".

"Tenho 37 anos e ninguém deve me explicar quando eu errei, porque sei que falhei. A crítica depende de quem vem, porque muitas pessoas falam, mas não sabem o que é ser goleiro. Na rua tem muitos cachorros latindo, mas eu não atiro pedra em todo cachorro que late", disse Handanovic sobre as críticas que vem recebendo.

Gianluca Pagliuca, histórico ex-goleiro da Internazionale, afirmou recentemente à emissora "SportMediaset" que Handanovic ainda é uma opção confiável. O ex-atleta ainda achou muito precipitada a possível chegada do nigeriano André Onana, do Ajax.

No banco de reservas da Inter está o romeno Ionut Radu, que recusou recentemente diversas propostas de clubes da Itália e de fora do país para continuar em Milão.

Roma e Milan

As equipes da Roma e do Milan, no entanto, estão em paz com seus goleiros. Os rossoneri perderam Gianluigi Donnarumma para o Paris Saint-Germain, mas trouxeram Mike Maignan, um dos destaques do título do Lille na Ligue 1.

O francês caiu nas graças da torcida do Milan rapidamente e até pegou um pênalti do egípcio Mohamed Salah, do Liverpool, na Champions League. O jogador dos Reds não perdia uma cobrança desde setembro de 2017.

Na capital italiana, a Roma, do técnico José Mourinho, encontrou mais segurança após a chegada do experiente Rui Patrício. Na temporada passada, o time teve Pau López, Antonio Mirante e Daniel Fuzato defendendo sua meta, mas nenhum deles conseguiu convencer.

Itália

Indiscutivelmente, o goleiro titular da seleção da Itália é Donnarumma, do PSG. No entanto, o jovem jogador não sofre praticamente nenhuma pressão na Azzurra, pois não possui concorrentes do mesmo calibre. Desde que chegou em Paris, Gigio jogou somente uma vez.

Assim como a Alemanha, a Itália é uma grande formadora de goleiros, tendo colocado em jogo diversos nomes de peso ao longo da história, como Pagliuca, Buffon, Angelo Peruzzi, Walter Zenga, Dino Zoff, Aldo Olivieri, entre outros.

Na atual temporada da elite do calcio, dos 20 times participantes, apenas sete possuem goleiros italianos como titulares. Além disso, três deles possuem 30 anos de idade ou mais, que são Marco Silvestri (Udinese), Andrea Consigli (Sassuolo) e Salvatore Sirigu (Genoa).

Os outros goleiros italianos que atuam regularmente na Série A são: Guglielmo Vicario (Empoli), Emil Audero (Sampdoria), Alessio Cragno (Cagliari) e Lorenzo Montipò (Verona). (ANSA).
   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA