Polícia investiga insultos racistas contra zagueiro do Napoli

Koulibaly foi discriminado no fim do jogo contra a Fiorentina

Koulibaly marcando Bonaventura no jogo contra a Fiorentina
Koulibaly marcando Bonaventura no jogo contra a Fiorentina (foto: ANSA)
11:07, 04 OutNÁPOLES ZRS

(ANSA) - Mais um caso de racismo, desta vez envolvendo o zagueiro Kalidou Koulibaly, do Napoli, manchou o futebol italiano. A polícia local abriu uma investigação nesta segunda-feira (4) para tentar encontrar os responsáveis pelo crime.

Em suas redes sociais, Koulibaly denunciou que sofreu insultos racistas logo depois da vitória em cima da Fiorentina, no Estádio Artemio Franchi, em Florença. Segundo o jogador, ele foi chamado de "macaco de merda" pela torcida da Viola.

"Macaco de merda. Foi assim que eles me chamaram. Essas pessoas não têm nada a ver com o esporte. Elas precisam ser identificadas e deixadas de fora dos estádios: para sempre", escreveu o zagueiro.

A Divisão de Investigações Gerais e Operações Especiais da Polícia de Estado (Digos) de Florença, na Itália, vem conduzindo as apurações sobre o caso e já está examinando as imagens das câmeras de vigilância do estádio.

De acordo com os primeiros resultados da investigação, os insultos teriam partido da Curva Fiesola, uma torcida organizada da Fiorentina, quando os espectadores já estavam deixando o Artemio Franchi.

Segundo o jornal "Gazzetta dello Sport", os jogadores Victor Osimhen e André-Frank Anguissa, ambos do Napoli, também foram insultados pelos torcedores da Fiorentina, mas apenas sorriram. Já Koulibaly se revoltou e quis tirar satisfação com os responsáveis pelo crime.

Em um comunicado, a Fiorentina informou que disponibilizou todas as imagens de segurança à polícia local e que, uma vez identificados, os culpados serão expulsos do Artemio Franchi. O clube também revelou que Joe Barone, dirigente-geral da Viola, pediu desculpas pessoalmente ao Koulibaly.

"Victor, André-Frank e Kalidou: em nome da cidade de Florença eu peço desculpas. Quem ontem ofendeu os jogadores do Napoli no estádio não representa a cidade e nem a Fiorentina, que imediatamente se distanciou. Nos estádios não há espaço para ignorância e estupidez", escreveu o prefeito de Florença, Dario Nardella.

Em declarações à ANSA, o presidente da Associação Italiana de Jogadores (AIC), Umberto Calcagno, convidou a todos a "não subestimar" o racismo e afirmou que o episódio ocorrido no domingo (3) deve ser considerado "grave" e "inaceitável".

Dentro dos gramados, o Napoli bateu a Fiorentina por 2 a 1 e conquistou sua sétima vitória consecutiva na Série A do Campeonato Italiano. O atual líder do torneio é o único com 100% de aproveitamento. (ANSA).
   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA