Totti defende Jogos Olímpicos em Roma e causa 'guerra' política

Capital italiana está em meio à campanha eleitoral para 2º turno

Totti defendeu candidatura de Roma para Olimpíadas e causou 'guerra' em campanha eleitoral
Totti defendeu candidatura de Roma para Olimpíadas e causou 'guerra' em campanha eleitoral (foto: ANSA)
14:44, 09 JunROMA ZGT

(ANSA) - O meia-atacante italiano Francesco Totti, ídolo da Roma, defendeu nesta terça-feira (07) a candidatura da "cidade eterna" para as Olimpíadas de 2024 e, sem querer, entrou no meio da campanha eleitoral para a capital italiana.

 

"Ter uma visão de futuro para Roma significa perseguir objetivos importantes, entre os quais está, seguramente, a candidatura às Olimpíadas. Dar aos nossos filhos esperança de renascimento é um dever de todos aqueles que governam e que governarão", disse o craque à ANSA.

 

Porém, a frase do jogador repercutiu de maneira inesperada entre os dois candidatos que lutam pela prefeitura da cidade no segundo turno das eleições, que ocorrerá no dia 19 de junho.

 

Virginia Raggi, do partido de direita Movimento Cinco Estrelas (M5S), declarou por diversas vezes antes de vencer o primeiro turno do pleito que era contra a realização dos Jogos e que iria fazer um referendo sobre o tema. Em nota divulgada no site do partido, Raggi se esquivou e disse que para ela "não é surpreendente" que um jogador "campeão mundial" como Totti seja favorável ao evento.

 

"Nós não somos terminantemente contrários. Mas, nesses meses, nenhum romano me perguntou se faríamos as Olimpíadas. Me pediam sobre buracos, transportes, lixo. E um prefeito deve ouvir os romanos", disse Raggi.

 

Por sua vez, seu concorrente Roberto Giachetti, que pertence ao governista Partido Democrático (PD) e é pró-Olimpíadas, afirmou que "presumivelmente, Totti me apoia".

 

"Totti percebe, como acho que todos os romanos estão percebendo, o quanto é importante um posicionamento do tipo e a grande oportunidade que existe para a cidade. Raggi definiu como criminosa a escolha de fazer as Olimpíadas, mas acredito que criminoso é renunciar a esta extraordinária oportunidade", disse Giachetti.

 

Ao ver a repercussão de seu comentário entre os políticos, o craque da Roma veio à público dizer, através de seu blog, que "está apenas ao lado da candidatura olímpica".

 

"A política não entra neste caso e eu não gosto de ser instrumentalizado por ela. Não faço parte de nenhum esquema político e estou unicamente ao lado do esporte", escreveu o atleta. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA