'Marco zero' de pandemia na Itália celebra volta do beisebol

Codogno receberá o derby entre a equipe local e o Piacenza

Equipe de beisebol do Codogno Baseball 67
Equipe de beisebol do Codogno Baseball 67 (foto: Divulgação/Codogno )
12:06, 02 JulMILÃO ZRS

(ANSA) - A cidade de Codogno, "marco zero" da pandemia do novo coronavírus na Itália, receberá no próximo final de semana a primeira partida da temporada de 2020 do beisebol no país. Em jogo válido pela Série B, o time local disputará um derby contra o Piacenza.

O prefeito de Codogno, Francesco Passerini, celebrou o início da temporada e comentou que a partida será o "símbolo" de um recomeço da Itália.

"Sábado será o símbolo de uma Itália que recomeçará, da vida que vence a morte. Depois de meses com a morte pairando sobre nós, é um grande passo em direção à normalidade. O beisebol em Codogno tem uma grande tradição, para muitos é um motivo de vida", disse Passerini em entrevista à ANSA.

Codogno tem por volta de 16 mil habitantes e ganhou destaque no noticiário nacional e internacional ao descobrir os primeiros casos de transmissão interna da Covid-19 na Itália, em 21 de fevereiro. O município foi colocado em lockdown e conseguiu frear os contágios enquanto os números cresciam no restante da Lombardia.

"Parece que se passou 20 anos do pico da emergência do coronavírus, mas ninguém esquece. Na província de Lodi, 74% das empresas recomeçaram suas atividades, já 90% das empresas de Codogno fizeram o mesmo. Os clubes e discotecas permanecem fechados, mas tem alguns abertos na Emilia-Romagna. É uma discrepância, então é necessário manter, principalmente os jovens, comportamentos adequados para manter todos calmos", disse o prefeito.

Passerini também relembrou que a cidade lombarda não registra novos casos da doença há "pelo menos três semanas".

O clássico entre o Codogno Baseball 67 e Piacenza, é um dos clássicos de maior rivalidade na Itália, que opõe duas cidades de províncias e regiões diferentes, mas separadas por apenas um rio.(ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA