Tribunal exclui Rússia dos Jogos Olímpicos de Tóquio

Atletas russos poderão disputar a competição sob bandeira neutra

Punição é válida até dezembro de 2022
Punição é válida até dezembro de 2022 (foto: AFP)
12:57, 17 DezROMA ZRS

(ANSA) - O Tribunal Arbitral do Esporte (TAS) confirmou nesta quinta-feira (17) a exclusão da Rússia de competições internacionais pelos próximos dois anos. Com isso, o país disputará as Olimpíadas de Tóquio e os Jogos de Inverno de Pequim sob bandeira neutra.

Atletas russos só poderão disputar os torneios se comprovarem que não estão envolvidos em nenhum escândalo de doping. Mesmo se aprovados, não representarão a Rússia, e sim sob bandeira do Comitê Olímpico Internacional (COI).

Os esportistas russos passarão por rigorosos testes antidoping para terem sinal verde para disputar as próximas competições internacionais como atletas neutros.

A punição, contudo, diminuiu de quatro para dois anos. Ela terá validade até dia 16 de dezembro de 2022.

O escândalo de doping estourou em 2015, quando a Rússia foi acusada de patrocinar uma rede de fornecimento de substâncias ilícitas para atletas e de fraudes em exames. Por conta disso, acabou proibida de participar das provas de atletismo e de remo das Olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro.

Mais tarde, descobriu-se um esquema de doping nos Jogos de Inverno de 2014, em Sóchi, e o país não pôde participar da edição seguinte do torneio, em PyeongChang, em 2018. Na ocasião, atletas da Rússia que comprovaram inocência até conseguiram competir, mas sem o hino, a bandeira e as cores nacionais.

A Agência Antidoping da Rússia (Rusada) tentava retomar sua credencial, mas uma comissão afirmou que o país manipulou amostras de exames antidoping coletadas em um laboratório na capital Moscou. (ANSA).
   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA