Natação italiana se renova e diversifica medalhas em Tóquio

Modalidade foi responsável por seis das 28 medalhas da Itália

Modalidade foi responsável por seis das 28 medalhas da Itália
Modalidade foi responsável por seis das 28 medalhas da Itália (foto: EPA)
10:34, 03 AgoSÃO PAULO ZRS

(ANSA) - Se para a esgrima a campanha nas Olimpíadas de Tóquio foi quase um desastre sem o ouro, a natação da Itália, embora não tenha subido no lugar mais alto do pódio, teve um bom retrospecto no Japão e conseguiu tirar sorrisos dos torcedores.

Até o momento, os nadadores italianos foram responsáveis por seis das 28 medalhas conquistadas pela nação no megaevento esportivo, sendo a modalidade mais bem-sucedida da Itália.

No geral, a Itália faturou duas medalhas de prata e quatro de bronze na modalidade. Nas provas por equipes, o país ficou em segundo e em terceiro nos revezamentos 4x100 livre e medley masculinos.

Já nas competições individuais, Gregorio Paltrinieri fechou a prova dos 800m livre com a prata, enquanto que Nicolo Martinenghi, Federico Burdisso e Simona Quadarella conquistaram o bronze nos 100m costas, 200m borboleta e 800m livre, respectivamente.

A natação italiana conseguiu vencer mais medalhas que a esgrima do país, que até virou alvo de questionamentos em função do desempenho abaixo do esperado em Tóquio. Vale ressaltar que a modalidade é responsável pelo maior número de medalhas na história olímpica da Itália.

A esgrima conquistou três pratas e dois bronzes, sendo acompanhada de perto pelo remo e o levantamento de peso, que conseguiram três medalhas no Japão.

Em número de vezes que subiu ao pódio, a natação italiana repetiu em Tóquio o histórico retrospecto de 2000, na Austrália, quando também faturou seis medalhas. No entanto, ao contrário das Olimpíadas de Sydney, nenhum ouro foi conquistado no Japão.

"Fomos quase perfeitos, os jovens não se intimidaram com os grandes nadadores. Todos nos deram fortes emoções", celebrou o técnico Cesare Butini.

Apesar de não ter superado o recorde histórico, a natação da Itália conseguiu mais medalhas que na campanha da edição de 2016 dos Jogos, no Rio de Janeiro. Na oportunidade, o país deixou o Brasil com um ouro, uma prata e dois bronzes. Já em 2012, na Inglaterra, o time azzurro conquistou somente um bronze nas Olimpíadas.

No revezamento 4x100 livre, os nadadores Alessandro Miressi, Thomas Ceccon, Lorenzo Zazzeri e Manuel Frigo fecharam a prova com o tempo de 3m10s11, estabelecendo um novo recorde italiano na categoria.

O bom retrospecto da natação ajudou a Itália a manter viva a esperança de superar os 28 pódios alcançados nos Jogos do Rio de Janeiro. Além disso, o país começa a sonhar em bater o recorde de 36 medalhas de Los Angeles 1932 e Roma 1960. (ANSA).
   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA