Atleta paralímpica afegã faz apelo para ir aos Jogos de Tóquio

Com conquista do Talibã, comitê anunciou que não enviará atletas

Zakia Khudadadi seria a primeira mulher a representar o Afeganistão em uma Paralimpíada
Zakia Khudadadi seria a primeira mulher a representar o Afeganistão em uma Paralimpíada (foto: ANSA/COI)
18:43, 17 AgoROMA ZGT

(ANSA) - A atleta paralímpica do Taekwondo do Afeganistão, Zakia Khudadadi, fez um apelo nesta terça-feira (17) para conseguir realizar o sonho de participar dos Jogos Paralímpicos de Tóquio.

Ela seria a primeira mulher de seu país a ir para a competição, mas com a conquista de Cabul pelos talibãs, o Comitê Paralímpico anunciou que não irá para as Olimpíadas.

"Não deixem que os talibãs me tirem os direitos fundamentais. Eu ainda tenho esperança, eu imploro, me ajudem a participar. É o meu sonho, eu lutei por cinco anos para chegar onde estou", disse a lutadora à emissora "Al Jazeera".

Em um apelo à ANSA, via Facebook, a paratleta disse que sua "família está um uma situação muito ruim" e todos estão "sob o controle do Talibã e isso é um grande pesadelo". 

"Todas as minhas fotos e vídeos são transmitidos para o mundo virtual e fico à espera que aconteça alguma coisa comigo e com a minha família a qualquer momento. É o cúmulo do medo e do pânico", acrescentou. 

Khudadadi e Hossain Rasouli, do atletismo, eram os dois únicos atletas paralímpicos afegãos a conseguirem ir para Tóquio por meio de convites.

No entanto, nesta segunda-feira (16), um dia após a tomada de poder do Talibã, o presidente do Comitê, Arian Sadiqi, informou que eles não conseguiram embarcar a tempo, já que os voos para civis foram todos cancelados. (ANSA).
   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA