Italiana quer homenagear Afeganistão com medalha em Tóquio

Monica Contrafatto perdeu a perna em uma missão militar no país

Contrafatto durante um torneio em Dubai
Contrafatto durante um torneio em Dubai (foto: EPA)
15:01, 24 AgoROMA ZRS

(ANSA) - A paratleta italiana Monica Contrafatto afirmou nesta terça-feira (24) que pretende conquistar uma medalha nas Paralimpíadas de Tóquio, no Japão, e dedicá-la ao Afeganistão.

Natural de Gela, na região da Sicília, Contrafatto perdeu a perna direita durante uma missão militar no Afeganistão, mas não escondeu seu carinho pelo país. A velocista fazia parte do 1º Regimento Bersaglieri.

"Nessas Paralimpíadas é como se eu também estivesse competindo pelo Afeganistão e espero dedicar uma medalha a eles. Além da perna, também deixei meu coração lá, me apaixonei pelas pessoas e pelas crianças, se eu pudesse até adotaria uma", disse Contrafatto em entrevista à ANSA.

A velocista já conquistou duas medalhas em Campeonatos Mundiais e Europeus da modalidade. Nas Paralimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro, a italiana faturou o bronze nos 100 metros rasos da categoria T42, com um tempo de 16s30.

Desde o dia 15 de agosto, quando o grupo fundamentalista islâmico Talibã assumiu o poder em Cabul, cenas de desespero se repetem no aeroporto da capital. Pelo menos 20 pessoas já teriam morrido no local.

Em virtude da volta ao comando do grupo extremista, o Afeganistão não conseguiu enviar sua comitiva para os Jogos Paralímpicos de Tóquio, no Japão, que será realizado entre os dias 24 de agosto e 5 de setembro. (ANSA).
   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA