Com destaque para natação, Itália fatura 7 medalhas em Tóquio

País subiu duas vezes no lugar mais alto do pódio

Carlotta Gilli faturou sua quinta medalhas nas Paralimpíadas de Tóquio
Carlotta Gilli faturou sua quinta medalhas nas Paralimpíadas de Tóquio (foto: EPA)
12:18, 30 AgoSÃO PAULO ZRS

(ANSA) - A delegação da Itália teve mais um dia positivo nos Jogos Paralímpicos de Tóquio, no Japão, com sete medalhas conquistadas nesta segunda-feira (30). No geral, o país europeu conseguiu dois ouros, uma prata e quatro bronzes.

A natação, modalidade responsável por 23 das 35 medalhas do time azzurro na capital japonesa, foi o destaque da jornada. A atleta Carlotta Gilli subiu no lugar mais alto do pódio nos 200m medley da categoria SM13 e estabeleceu um novo recorde mundial.

Gilli, que é natural de Moncalieri, faturou sua quinta medalha na atual edição das Paralimpíadas, sendo dois ouros, duas pratas e um bronze.

Ainda na natação, Arjola Trimi faturou seu segundo ouro em Tóquio, desta vez nos 100 metros livre S3. Em mais uma grande exibição da nadadora italiana, ela conseguiu fechar a prova na frente da norte-americana Leanne Smith e da russa Iuliia Shishova.

A única prata da Itália foi conquistada pela equipe masculina no revezamento 4x100 metros livre. O quarteto formado por Antonio Fantin, Simone Ciulli, Simone Barlaam e Stefano Raimondi ficou na frente da Ucrânia e atrás da Austrália, que estabeleceu o novo recorde mundial da prova.

Os quatro bronzes da Itália vieram de modalidades diferentes, sendo um deles no tiro com arco. Maria Andrea Virgilio, que é natural de Trapani, venceu a russa Stepanida Artakhinova por 142 a 139 e subiu no pódio.

Andrea Liverani, por sua vez, ficou com o bronze no tiro esportivo. O milanês, de 31 anos de idade, fechou a prova da carabina de ar 10m mista da classe Sh2 atrás do sueco Philip Jonsson (ouro) e do esloveno Francek Gorazd Tirzek (prata).

Em uma prova que teve Brasil e Itália no pódio, Oney Tapia ficou com o bronze no arremesso de peso ao lançar a bola a 13,60 metros. O italiano só não foi melhor que o iraniano Mahdi Olad (14,43) e o brasileiro Alessandro Rodrigo (13,89).

Por fim, Sara Morganti ficou em terceiro na prova de adestramento. Montando o cavalo Royal Delight, a italiana totalizou 81.100 pontos e fechou a etapa atrás da norte-americana Roxanne Trunnel (86.927) e do letão Rihards Snikus (82.087). (ANSA).
   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA