Brasil fatura mais medalhas em Tóquio e passa marca de 100 ouros

País brilhou na natação ao faturar quatro pódios nesta terça

Brasil faturou sua centésima medalha de ouro paralímpico em Tóquio
Brasil faturou sua centésima medalha de ouro paralímpico em Tóquio (foto: Rogério Capela/CPB)
09:20, 31 AgoSÃO PAULO ZRS

(ANSA) - Com sete medalhas conquistadas nesta terça-feira (31) em Tóquio, no Japão, o Brasil ultrapassou a histórica marca de 100 ouros paralímpicos, que foi alcançada pelo velocista Yeltsin Jacques na prova dos 1.500m da classe T11.

Mais da metade das medalhas brasileiras vieram na natação e o único ouro foi da nadadora Maria Carolina Santiago, que venceu a disputa do 100m livre S12, categoria para pessoas com baixa visão. A pernambucana de 36 anos já havia vencido na capital japonesa a prova dos 50m livre S13.

Santiago entrou para a história do país ao se tornar a primeira brasileira a conquistar duas medalhas de ouro em uma mesma edição de Paralimpíadas na natação.

O centésimo ouro do Brasil em Jogos Paralímpicos, que foi alcançado algum tempo antes de Santiago entrar na piscina, foi faturado por Jacques. Além da histórica medalha, o paratleta estabeleceu o novo recorde mundial com a marca de 3m57s60.

Não satisfeita, Santiago subiu ao pódio pela terceira vez em Tóquio, mas no revezamento 4x100m livre misto para deficientes visuais. O time do Brasil, que também tinha Wendell Belarmino, Douglas Matera e Lucilene Sousa, ficou em segundo lugar, atrás do Comitê Paralímpico Russo.

Ainda na natação, Gabriel Bandeira faturou a prata nos 200m medley SM14 e conquistou sua quarta medalha em Tóquio. Mariana Gesteira, por sua vez, ficou com o bronze nos 100m livre S9.

Passando para o atletismo, Thalita Simplicio fechou a grande decisão dos 100m T11 em terceiro lugar, com o tempo de 12s18, ficando atrás somente da venezuelana Linda Perez (12s05, ouro) e da chinesa Cuiqing Liu (12s15, prata).

A baiana Raissa Rocha Machado faturou a medalha de prata no lançamento de dardo F56, para atletas cadeirantes. A brasileira atingiu a marca de 24m39, perdendo apenas para a iraniana e atual recordista mundial Hashemiyeh Motaghian Moavi. O bronze foi para Diana Dadzite, da Letônia.

Jardênia da Silva faturou o bronze na prova dos 400m feminino T20. A brasileira terminou atrás da norte-americana Breanna Clark e da ucraniana Yuliia Shuliar.

No total, o Brasil soma 42 medalhas na atual edição dos Jogos Paralímpicos, sendo 14 ouros, 11 pratas e 17 bronzes. O país está em sexto na classificação geral do megaevento esportivo.(ANSA).
   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA