Nascimentos batem recorde negativo em 2014

No ano passado, 509 mil bebês vieram ao mundo no país

População da Itália vem diminuindo há uma década
População da Itália vem diminuindo há uma década (foto: ASNSA)
17:02, 12 FevROMA ZLR

(ANSA) - O ano de 2014 registrou o menor número de nascimentos da Itália desde a sua unificação, em 1861. Segundo o Instituto Italiano de Estatísticas (Istat), de janeiro a dezembro vieram ao mundo 509 mil bebês no país (incluindo os de mães estrangeiras), 5 mil a menos do que em 2013.
    Por outro lado, as mortes também diminuíram, chegando a 597 mil em 2014, aproximadamente 4 mil a menos em relação ao ano anterior. Já a expectativa de vida chegou a 80,2 anos para os homens e 84,9 para as mulheres. A idade média da população local é de 44,4 anos.
    Ainda de acordo com o Istat, a Itália completou uma década de quedas no seu número de habitantes, que em janeiro de 2015 era de 55,7 milhões, uma perda de 125 mil residentes na comparação com o mesmo mês de 2014.
    Segundo a ministra da Saúde Beatrice Lorenzin, os dados sobre natalidade na Itália são "preocupantes" e é preciso um plano para inverter essa tendência. "Se continuar assim, em 2050 não teremos nascimentos, e um país onde ninguém nasce é um país morto", disse. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA