Transexual brasileiro é morto a facadas na Itália

Namorado da vítima foi preso como principal suspeito

A Itália é um dos países onde mais transexuais brasileiros são alvos de ataques
A Itália é um dos países onde mais transexuais brasileiros são alvos de ataques (foto: EPA)
20:44, 30 JunFLORENÇA ZBF

(ANSA) - Um transexual brasileiro foi morto ontem (29) em Florença, na Itália, por um homem com quem mantinha um relacionamento afetivo. Gilberto Manoel da Silva foi assassinado a facadas em seu apartamento, localizado na rua Fiume.

 

O italiano Mirco Alessi, de 42 anos, foi preso sob acusação de duplo homicídio. De acordo com a polícia, Alessi confessou o crime e relatou que mantinha um relacionamento estável com Silva, mas que o brasileiro frequentemente pedia dinheiro a ele sob ameaça de relevar a público o envolvimento amoroso da dupla.

 

Além de assassinar o brasileiro, que usava o nome de "Kymberly", o italiano matou uma dominicana, Mariela Josefina Santos Cruz, de 27 anos, que estava no apartamento também. Uma outra jovem de nacionalidade dominicana conseguiu fugir pela janela e relatou o crime para a polícia como testemunha.

 

De acordo com a sobrevivente, as duas dominicanas dormiam em um quarto quando ouviram barulhos e gritos na cozinha. Assustadas, decidiram abrir a porta para ver o que estava acontecendo. Um homem ensaguentado com uma faca na mal gritava que "tinha feito mal a Kymberly". Em seguida, ele pediu Mariela pelo braço e começou a esfaqueá-la. Neste momento, a testemunha conseguiu fugir pulando da janela do primeiro andar do apartamento.

 

Na calçada, ela conseguiu pedir ajuda para um homem de origem indiana, que chamou a polícia. A mulher voltou ao apartamento e encontrou a amiga agonizando no chão e dizendo que ia "morrer".
   

 

A jovem conseguiu perguntar para a dominicana quem era o agressor. A reposta foi "Luca", nome usado pelo namorado de "Kymberly". (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA