Líderes mundiais lamentam terremoto na Itália e oferecem apoio

Líderes de todas as partes ofereceram ajuda ao país

Casas e carros danificados em Pescara del Tronto, Itália
Casas e carros danificados em Pescara del Tronto, Itália (foto: ANSA)
13:31, 24 Ago?ROMA ZSG

(ANSA) - Autoridades de diversos países lamentaram nesta quarta-feira, dia 24, o terremoto de 6 graus na escala Richter que atingiu a região central da Itália e matou dezenas de pessoas.

 

"Os Estados Unidos da América estão próximos da dor dos italianos pelas vítimas do terremoto e estão prontos a oferecer ajuda e assistência”, disse o mandatário dos Estados Unidos, Barack Obama, ao presidente da Itália, Sergio Mattarella, em uma conversa ao telefone.

 

A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, que esteve em Nápoles no começo da semana para um encontro junto ao premier, Matteo Renzi, e ao presidente da França, François Hollande, lamentou a tragédia. O ministro alemão das Relações Exteriores, Frank-Walter Steinmeier, expressou sua solidariedade pelas vítimas do terremoto e disse que o governo de Berlim está pronto para oferecer ajuda nas operações de socorro.

 

Da França, Hollande disse que o episódio se trata de uma "tragédia terrível" e expressou, em mensagem a Renzi, a solidariedade e o afeto do povo francês.

 

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, por sua vez, indicou, em ?comunicado?, que Moscou "compartilha da dor do povo amigo italiano e expressa sua disposição a ajudar a enfrentar as consequências do desastre natural".

 

O premier de Israel, Benjamin Netanyahu, declarou que o povo israelense está próximo das vítimas e ?também ?ofereceu ajuda nas operações de busca.

 

O tremor foi registrado às 3h36 (hora local), com epicentro a 2 km da cidade de Accumoli, situada a 145 km de Roma, onde o sismo também foi sentido. Mais de 70 pessoas morreram na tragédia e o número de vítimas ainda pode subir.  (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA

archivado en