Após confrontos, obras de gasoduto na Itália são suspensas

Manifestantes se opõem a desmatamento de mais de 200 oliveiras

Após confrontos, obras de gasoduto na Itália são suspensas (foto: ANSA)
15:31, 01 AbrMELEDUGNO ZAR

(ANSA) - Após protestos e confrontos, manifestantes e a sociedade responsável pelo gasoduto Trans-Asiático (TAP), projeto que levará o gás do Azerbaijão à Itália, chegaram a um acordo.

O grupo, formado por empresas como, Axpo, Statoil e E.On, anunciou a suspensão do seu trabalho na cidade de Meledugno, na Púglia, por onde passará o gasoduto, para este sábado, dia 1º.

Para a construção do gasoduto, na localidade de San Basilio, mais de 200 oliveiras terão que ser cortadas, o que gerou críticas e protestos de ativistas, que há dias estão no local parar tentar impedir o progresso das obras.

A sociedade também informou que os três caminhões que estavam transportando algumas das oliveiras retiradas do espaço para serem replantadas em outra facilidade e que haviam sido bloqueados pelos manifestantes voltaram a San Basilio com as plantas e não às levarão ao local de armazenamento de Masseria del Capitano, ao menos não neste sábado.

A nova suspensão das obras acontece poucas horas após elas terem recomeçado no final da tarde desta sexta-feira (31) de surpresa, sem o consentimento ou aviso aos manifestantes.

A retirada das oliveiras de Meledugno estava paralisada nos últimos dois dias devido aos sérios confrontos entre ativistas da cidade italiana e policiais.

Ao menos 300 pessoas estão participando dos atos contra o gasoduto desde o começo desta semana.

Planejado desde 2013, o TAP pretende ligar os gasodutos orientais do sul da Itália através do norte da Grécia, Albânia e Mar Adriático. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA

archivado en