Paquistanesa pede ajuda na Itália contra casamento forçado

Jovem enviou uma carta para sua ex-escola no país europeu

Paquistanesa pede ajuda na Itália contra casamento forçado
Paquistanesa pede ajuda na Itália contra casamento forçado (foto: Ansa)
11:10, 18 SetMONZA ZLR

(ANSA) - Uma jovem paquistanesa que morava em Brianza, no norte da Itália, escreveu uma carta pedindo que sua ex-escola no país europeu lhe ajudasse a escapar de um casamento forçado.

A mulher, hoje com 23 anos, foi obrigada a abandonar a Europa e voltar ao Paquistão, sob o pretexto de que seu pai não queria mais que ela estudasse. Após chegar a seu país de origem, descobriu que deveria se casar com um homem escolhido pela família.

A paquistanesa se revoltou e escreveu uma carta para sua antiga escola, na província de Monza e Brianza, pedindo ajuda.

"Ajudem-me, meu futuro é na Itália, pegaram todos os meus documentos e me deixaram aqui", escreveu a jovem.

Segundo ela, seu pai lhe impediu de terminar o ensino médio. "Eu sei que uma das professoras perguntou o que tinha acontecido comigo, e depois me levaram embora", contou a paquistanesa, cujo nome não foi divulgado. Não se sabe quando os fatos aconteceram.

Esse não é o primeiro caso do tipo na Itália. Em maio passado, as autoridades do país resgataram no Paquistão uma jovem de 19 anos que vivia em Verona e havia sido forçada a abortar durante uma viagem a seu país de origem. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA