Itália confisca veleiro usado para salvar migrantes

Barco forçou entrada no porto de Lampedusa, sul do país

Veleiro da Mediterranea chega em Lampedusa com 41 migrantes
Veleiro da Mediterranea chega em Lampedusa com 41 migrantes (foto: ANSA)
14:33, 08 JulROMA ZLR

(ANSA) - A Guarda de Finanças da Itália confiscou nesta segunda-feira (8) o veleiro "Alex", da ONG Mediterranea Saving Humans, que atracara no país com 41 migrantes a bordo no último fim de semana.

O barco havia forçado a entrada no porto de Lampedusa, apesar de uma proibição da Guarda de Finanças, alegando que as condições de higiene dos migrantes se tornara "intolerável". O grupo havia sido resgatado dias antes de um bote inflável no Mediterrâneo.

O confisco do veleiro se baseia no Decreto de Imigração e Segurança, editado pelo ministro do Interior e vice-premier Matteo Salvini e que prevê multas de até 50 mil euros para ONGs que entrarem em águas italianas sem autorização.

A Mediterranea Saving Humans reúne diversas organizações sociais da Itália e é acusada pelo governo de favorecer a imigração clandestina. "Se pensam que vão parar a Mediterranea assim, vão errar feio", disse a ONG.

A ofensiva contra as entidades humanitárias que operam no Mediterrâneo virou o principal cavalo de batalha de Salvini em sua luta contra a chegada de migrantes e refugiados à Itália. Recentemente, uma capitã alemã, Carola Rackete, foi presa por ter violado uma ordem de não atracar no porto de Lampedusa com um navio carregando 40 pessoas.

Rackete, da ONG alemã Sea Watch, foi libertada depois de três dias em prisão domiciliar, mas ainda pode responder por favorecimento à imigração clandestina. Enquanto isso, centenas de migrantes chegam semanalmente à costa italiana em embarcações piratas controladas por coiotes.

Nos primeiros seis meses do ano, 3079 deslocados internacionais desembarcaram na Itália, queda de 82% em relação ao mesmo período do ano passado. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA