Um a cada 4 italianos culpa roupas por estupros

Estudo sobre violência de gênero foi divulgado nesta segunda

Câmara dos Deputados da Itália é iluminada de vermelho para lembrar Dia pela Eliminação da Violência contra a Mulher
Câmara dos Deputados da Itália é iluminada de vermelho para lembrar Dia pela Eliminação da Violência contra a Mulher (foto: ANSA)
20:43, 25 NovROMA ZLR

(ANSA) - Um estudo divulgado nesta segunda-feira (25) pelo Instituto Nacional de Estatística (Istat) da Itália mostra que uma em cada quatro pessoas no país acredita que uma mulher pode provocar um estupro por causa de seu modo de se vestir.

O relatório foi divulgado por ocasião do Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra a Mulher e revela que 23,9% da população da Itália culpa as roupas por atos de abuso sexual. Além disso, 39,3% das pessoas responderam que uma mulher pode escapar de um estupro "se realmente não quiser" ser violentada.

Já 15,1% disseram que a vítima é ao menos parcialmente culpada de um abuso se estiver bêbada ou sob efeito de drogas, e 6,2% afirmaram que mulheres "sérias" nunca são estupradas.

Outro dado preocupante é que 7,4% dos entrevistados julgam aceitável que um homem agrida sua companheira se ela flertar com outro indivíduo, e 18% concordam que o parceiro inspecione regularmente o celular da esposa ou namorada.

A Itália registrou 142 feminicídios em 2018, número 0,7% maior que no ano anterior, e acumula 94 nos primeiros 10 meses de 2019. No ano passado, 40,3% das vítimas de homicídio no país eram mulheres, maior percentual da história. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA