Número de casos de coronavírus na Itália sobe para 650

O balanço da epidemia no país também inclui 17 mortos

Pessoas usam máscaras de proteção em Milão, na Itália
Pessoas usam máscaras de proteção em Milão, na Itália (foto: ANSA)
18:38, 27 FevROMA ZLR

(ANSA) - Subiu para 650 o número de pessoas infectadas pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2) na Itália, segundo balanço divulgado às 18h (horário local) desta quinta-feira (27) pela Defesa Civil. O país também contabiliza mais três mortes, todas de pacientes com mais de 80 anos, elevando para 17 a quantidade de vítimas italianas da epidemia.

Os contágios se concentram nas regiões da Lombardia (403 casos), do Vêneto (111) e da Emilia-Romagna (97), todas no norte do país. Em seguida aparecem Ligúria (19), Sicília (quatro) Lazio (três), Campânia (três), Marcas (três), Toscana (dois), Piemonte (dois), Trentino-Alto Ádige (um), Abruzzo (um) e Puglia (um).

248 pacientes estão internados, sendo 56 em terapia intensiva, e 284 pessoas estão em isolamento domiciliar.

O Sars-CoV-2 começou a se disseminar pelo norte da Itália há uma semana, com focos nas províncias de Lodi (Lombardia) e Pádua (Vêneto). Apesar das restrições a italianos impostas por alguns países, apenas 11 pequenas cidades estão em isolamento: Bertonico, Casalpusterlengo, Castelgerundo, Castiglione d'Adda, Codogno, Fombio, Maleo, San Fiorano, Somaglia e Terranova dei Passerini, na Lombardia, e Vo', no Vêneto.

Em todas as outras, incluindo Milão e Veneza, não há nenhum tipo de restrição à circulação. As autoridades trabalham para identificar os chamados "pacientes zero" dos dois focos da epidemia no norte da Itália. Enquanto isso, pesquisadores do Hospital Sacco, de Milão, isolaram nesta a amostra italiana do novo coronavírus, o que facilitará o desenvolvimento de uma vacina.

 

Além disso, a Câmara dos Deputados aprovou na noite desta quarta (26) um decreto com medidas para combater a epidemia, como a suspensão de eventos esportivos na Lombardia, no Vêneto, na Ligúria, no Piemonte, na Emilia-Romagna e em Friuli Veneza Giulia.

O texto, que ainda precisa ser ratificado pelo Senado, embora já esteja em vigor, também suspende excursões escolares em toda a Itália até 15 de março e fecha atrações culturais no próximo domingo (1º). O decreto ainda destina 20 milhões de euros para ações emergenciais. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA