Mortos em epidemia na Itália tinham idade média de 81 anos

Estudo também mostrou que maioria sofria de outros problemas

Pedestre caminha em frente a um hospital em Milão, na Itália
Pedestre caminha em frente a um hospital em Milão, na Itália (foto: ANSA)
14:35, 06 MarROMA ZLR

(ANSA) - Um estudo divulgado nesta quinta-feira (5) aponta que a média de idade das pessoas mortas na epidemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2) na Itália é de 81 anos.

A análise foi feita pelo Instituto Superior da Saúde (ISS), órgão subordinado ao governo nacional e responsável pelas contraprovas para comprovar contágios por Sars-CoV-2, com base nos dados de 105 vítimas contabilizadas até 4 de março.

O estudo engloba mortos na Lombardia, na Emilia-Romagna, no Vêneto e em Marcas, as quatro regiões mais afetadas pela epidemia. A idade média das vítimas é de 81 anos, sendo que 14,1% dos pacientes eram nonagenários.

Os mortos mais jovens tinham entre 50 e 59 anos e correspondem a 2,8% do total. Já a maior parte das vítimas (42,2%) estava na faixa etária entre 80 e 89 anos. As mulheres que morreram na epidemia tinham idade média (83,4 anos) mais alta que os homens (79,9 anos).

O estudo também evidencia que muitas mortes podem ter acontecido por causa de outros problemas de saúde: 67,2% das vítimas apresentavam três ou mais patologias além da Covid-2019, doença provocada pelo Sars-CoV-2; 18,3%, duas; e 14,5%, nenhuma ou uma.

A hipertensão era o problema mais frequente e atingia 74,6% das vítimas analisadas, seguida por cardiopatia isquêmica (70,4%) e diabetes mellitus (33,8%).

"Ainda que preliminares, esses dados confirmam as observações feitas no resto do mundo, principalmente sobre o fato de que os idosos e as pessoas com patologias pré-existentes correm mais riscos", disse o presidente do ISS, Silvio Brusaferro.

A epidemia de coronavírus já atingiu cerca de 4,6 mil pessoas na Itália e matou ao menos 197. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA